Tecnologias Emergentes > Robótica

Empresa sueca instala microchips em funcionários

Funcionários ciborgues viraram rotina no espaço de coworking Epicenter. Implante funciona como uma chave para abrir portas, operar impressoras e até mesmo como cartão de crédito

07 de Abril de 2017 - 11h54

Algo que poderia ter saído de uma história de ficção científica tem acontecido com certa tranquilidade na Suécia: uma empresa tem transformado funcionários e colaboradores em ciborgues.

Segundo a Associated Press, profissionais da Epicenter, um espaço de coworking em Estocolmo, têm se voluntariado para implantar um microchip sob a pele entre o polegar e o dedo indicador. Não se trata de uma prática obrigatória, entretanto mais de 150 pessoas que frequentam o espaço já carregam o chip que possui o tamanho de um grão de arroz. 

Agora você pode se perguntar porque uma pessoa andaria por aí com um chip implantado na mão. Como a maioria das tecnologias que utilizamos no dia a dia, trata-se aqui também de uma questão de comodidade.

De acordo com o cofundador e CEO da Epicenter, Patrick Mesterton, o implante funciona como uma chave para abrir portas, um código para operar impressoras, ou até mesmo como um cartão de crédito para comprar alimentos e bebidas na loja de conveniência local. 

A Epicenter começou a implantar chips nos funcionários em janeiro de 2015. Os microchips usam tecnologia de aproximação Near Field Communication (NFC), a mesma usada em cartões de crédito sem contato e pagamentos móveis habilitados em smartphones e pulseiras inteligentes, por exemplo.

Mas é claro que como a maioria das novas tecnologias, ter um chip instalado no próprio corpo levanta questões de segurança e privacidade. 

O dispositivo é biologicamente seguro, porém os dados gerados conseguem mostrar a frequência de um funcionário e seus hábitos de compras. E, diferente do seu celular e cartão de crédito, você não conseguiria remover o chip da própria mão com facilidade.