Gestão > Estratégia, Gestão de Projetos, Tendências

Dez imperativos para criação de uma organização digital

Digitalização ainda é uma realidade distante das companhias. Veja como preparar sua empresa para explorar a economia digital

11 de Fevereiro de 2016 - 11h14

Muito se fala sobre digitalização dos negócios. O conceito, entre outras premissas, versa sobre a criação de projetos de tecnologia da informação que posicionem o cliente no centro das estratégias corporativas. Essa postura, contudo, ainda representa uma realidade distante das empresas. A IDC listou dez imperativos para evolução de uma organização adequado à economia digital.

1. Alinhar expectativas. Muitos executivos acham que já avançaram bastante em termos de digitalização de negócios. Porém, isso não é uma realidade muito presente no dia a dia. Segundo a consultoria, é preciso balancear o que existe de fato com o que ainda é apenas desejo para criar uma visão menos otimista frente ao estágio exato onde se encontra sua companhia.

2. Construir uma nova plataforma. Uma parcela pequena dos investimentos atuais em TI destina-se a soluções enquadradas na Terceira Plataforma. Esse percentual precisará crescer, fazendo avançar a adoção de ferramentas de mobilidade, social e cloud.

3. Considerar a nuvem com peça fundamental. Cloud já avançou bastante nos últimos anos. Contudo, gestores corporativos precisam colocar SaaS, PaaS e IaaS como alicerce de sua transformação digital.

4. Apostar em inovação. A consultoria aponta que as estratégias digitais ampliarão as capacidades de desenvolvimento de sistemas das empresas, o que tende a reverter uma corrida para criação de soluções móveis e rodando em nuvem.

5. Desenhar um pipeline de dados. A IDC aponta que, nos próximos anos, as empresas precisam explorar dados externos como forma de extrair informações valiosas que direcionem seus negócios.

6. Levar inteligência às pontas das redes. A Internet das Coisas tende a revolucionar o cenário tecnológico nos próximos anos. As empresas precisam desenvolver capacidade para explorar esses recursos para potencializar seus negócios a partir de informações coletadas em sensores e transportadas por suas redes.

7. Utilizar sistemas cognitivos. Inteligência artificial e aprendizado de máquinas precisam ser componentes cada vez mais presentes nas rotinas corporativas.

8. Pensar em nuvens verticais. Considere um cenário que aponte para o surgimento de clouds setoriais orientadas a determinados setores de mercado, como finanças, saúde e governo, por exemplo.

9. Explorar multicanais. Grandes empresas precisam tocar projetos de integração de suas cadeias produtivas. Isso vem na esteira da tendência de ter uma visão ampla que garanta a satisfação dos consumidores.

10. Realinhar parceiros e fornecedores. Essa visão multidimensional vincula-se diretamente ao ponto anterior da lista e pedirá que as empresas reorganizem seus sistemas que contemplem um ambiente B2B2C.