Gestão > Desenvolvimento/Programação, Estratégia, Gestão de Projetos

Dez coisas que as empresas precisam saber sobre desenvolvimento ágil

Gartner identificou os princípios fundamentais para a implementação bem feita da metodologia

16 de Março de 2016 - 17h15

Os CIOs são pressionados diariamente a apoiarem negócios digitais de rápida evolução. Os métodos tradicionais de desenvolvimento, contudo, muitas vezes são incompatíveis com tais necessidades. Para superar esse problema, as empresas cada vez mais se voltam ao desenvolvimento ágil como forma de acelerar seus projetos e ilustrar seu valor, indica um relatório do Gartner.

Nathan Wilson, diretor de pesquisa da consultoria, afirma que a execução correta da metodologia ágil tem o potencial de impactar na entrega de valor a partir da tecnologia, o que só acontece se tanto o CIO quanto a equipe de gerenciamento de TI forem dedicados à mudança de cultura necessária para o sucesso.

“Bem feito, o desenvolvimento ágil pode integrar o portfólio de métodos usados por um CIO para lidar com a crescente demanda por inovação no negócio”, defende Wilson. “Mal feito, ele criará mais problemas do que é capaz de consertar”.

O Gartner identificou dez princípios para um desenvolvimento ágil:

1. É um método plural

A metodologia ágil é um conjunto de abordagens de desenvolvimento de software que compartilham uma filosofia comum, mas se diferenciam em pequenos detalhes de suas implementações. O procedimento ágil é adaptado a diferentes problemas. Empresas sofisticadas com experiência podem usar mais de uma abordagem, mas as iniciantes devem selecionar um modelo e dominá-lo antes de testar novas formas.

2. Não implemente pela metade

Metodologias ágeis são altamente sistematizadas e todos os elementos que as compõem são cruciais para seu sucesso. Um erro comum das empresas é abraçar alguns elementos do método, como o sprint, mas ignorar ou diminuir outros tão importantes quanto, como o gerenciamento de lacunas técnicas. Essas empresas apreciam os benefícios do desenvolvimento rápido e o lançamento do novo código, mas colecionam problemas ao não abordar as “dívidas” técnicas.

3. Incentive o engajamento dos setores de TI e corporativo

Os benefícios completos do desenvolvimento ágil não podem ser alcançados sem engajamento com líderes corporativos, gerentes e a comunidade de usuários. Se o resto do negócio não demonstrar empolgação com o novo modelo, um planejamento cuidadoso e uma boa comunicação serão essenciais para obter o apoio necessário.

4. Domine o básico antes de tentar o avançado

Profissionais com experiência na metodologia ágil podem trabalhar com larga escala. A obtenção das habilidades necessárias exige muitos anos de prática em projetos de software e empresas iniciantes no modelo devem começar aos poucos, aumentando sua confiança e competência para futuramente se engajar com tarefas mais robustas.

5. Aprenda com tudo

Os profissionais devem estar comprometidos a melhorarem continuamente a qualidade e o custo-benefício dos projetos. Isso significa que cada desenvolvimento é vasculhado à procura de lições para o aprimoramento de políticas e práticas corporativas.

Esse aprendizado não é de responsabilidade única dos profissionais no nível de gestão, mas componentes fundamentais da carga de trabalho de toda a equipe. Além disso, não é voltado somente aos programadores, mas a todos os campos relacionados, como gerenciamento de projeto, arquitetura, garantia de qualidade e gerenciamento de verba em TI.

6. Trabalhe bem em equipe

A unidade organizacional básica de entrega em desenvolvimento ágil é uma equipe pequena, entre cinco e nove pessoas, tanto desenvolvedores quanto certificadores de segurança. Sob uma perspectiva de recursos humanos, gerenciar equipes ágeis envolve se dividir entre manter os times produtivos unidos e mudar indivíduos de grupo para encorajar novas ideias.

Quando alteradas com muita frequência, as equipes falham em desenvolver unidades produtivas. Quando permanecem intactas, cada grupo passa a se isolar e a divergir dos outros. É importante ressaltar que a localização física das equipes é mais importante na metodologia ágil do que nas outras abordagens de desenvolvimento.

7. Combata a lacuna técnica

A lacuna técnica é a diferença entre o estado de um pedaço de software hoje e o estado necessário para atender requisitos exigidos em atributos de qualidade, como confiabilidade, eficiência de desempenho, portabilidade, usabilidade, manutenção e segurança.

Todo desenvolvimento cria as “dívidas técnicas”. A diferença do método ágil é que ele reconhece carências e as adiciona ao backlog ao invés de escondê-las. Qualquer organização que queira adotar metodologias ágeis deve configurar os elementos necessários para a refatoração e eliminação da lacuna técnica do método escolhido.

8.Tenha cuidado especial na hora de terceirizar

Muitas organizações de TI costumam terceirizar o desenvolvimento de aplicações a provedores de serviço especializados. Embora eles ainda tenham um papel no método ágil, o modelo comercial e de engajamento são diferentes. Já que a colocação com usuários corporativos é intrínseca aos métodos ágeis, as oportunidades de alocação de trabalho para outras empresas são limitadas, tornando mais provável a adoção de equipes suplementares.

9. Esteja preparado para mudar as práticas de trabalho

Um dos componentes da metodologia ágil é o conceito de “entrega contínua”. O método se baseia em engajamento contínuo com gerentes de negócio e usuários, levando à entrega de uma corrente constante de software novo e modificado ao ambiente operacional. Isso exige mudanças significativas nas práticas de trabalho, tanto para a governança de negócio quanto para o gerenciamento de relações e equipes de infraestrutura e operações.

10. Outros métodos também terão espaço em seu portfólio

Na maioria das organizações comerciais e do setor público, o portfólio de aplicações apresentará diferentes tipos de problemas de desenvolvimento, alguns adequados ao método ágil enquanto outros são mais bem atendidos pela metodologia incremental, interativa ou pelo modelo modificado em cascata.