Negócios > Empreendedorismo, Estratégia, Internet das Coisas

Descubra como empreender com a Internet das Coisas

Veja três orientações para pequenos e médios empresários explorarem o mercado IoT a fim de criarem projetos inovadores

26 de Fevereiro de 2016 - 10h21

A Internet das Coisas (IoT) é a grande tendência tecnológica mundial. Consiste em sensoriar e conectar objetos que antes eram inanimados, garantindo a obtenção de milhares de dados e a automatização de processos. Para o VP da Telit para a América Latina, Ricardo Buranello, hoje o Brasil conta com mais de 11 milhões de dispositivos conectados apenas via rede celular.

“Não estamos falando de um futuro longínquo, mas de um cenário atual e que tende a crescer ainda mais. Prova disso são os dados publicados por analistas do setor com a previsão de termos 50 bilhões de dispositivos conectados em 2020”, diz Buranello. E como empreender neste setor em crescimento? Confira as três orientações do executivo para explorar o mercado IoT com projetos inovadores:

1. Entenda onde seu produto de fato gera valor

Um erro comum que vemos no mercado é o desenvolvimento de um produto sem uma visão clara da geração de valor do mesmo. Quando falamos em IoT, podemos ter tanto produtos que atendem a necessidade de pessoas físicas (como um dispositivo que monitora sua casa, seu carro, seu cachorro, enfim, as aplicações são infinitas) ou que atendem soluções profissionais (o que o mercado chama de industrial IoT). Independente de onde você esteja posicionando a sua empresa, tenha claro onde seu produto gera valor. É comum empresário ficarem tão empolgados com os desafios tecnológicos, que eles não conseguem visualizar de forma clara o real valor que ele está gerando para os clientes.

No final do dia, por mais empolgante que seja o produto, ele tem que gerar valor para o usuário final. Um exemplo interessante é de um cliente nosso que desenvolveu uma solução para conectar lixeiras públicas. As lixeiras passaram a avisar a empresa de limpeza quando elas estavam cheias e precisavam ser limpas. Assim, o caminhão faz uma rota inteligente, parando apenas nos locais necessários, reduzindo drasticamente a quantidade de caminhões necessários para a manutenção da limpeza pública.

2. Time-to-market é tudo

Para você ser bem sucedido você precisa ter o produto certo na hora certa. A tecnologia tem evoluído rapidamente e as empresas precisam entregar soluções em tempo hábil. Por sorte, os módulos de comunicação e microprocessadores evoluíram a ponto de encurtar sensivelmente o tempo de desenvolvimento de hardware. Na ótica da aplicação, soluções em nuvem garantem que os clientes desenvolvam seu software também de forma acelerada.

Em menos de um ano nós ajudamos dezenas de clientes no desenvolvimento de suas aplicações através da nossa plataforma de software. As empresas percebem cada vez mais que o ideal é focarem naquilo que importa ao cliente final. A plataforma que garante a interconexão de hardware, APP e ERP é extremamente complexa, mas pode ser terceirizada reduzindo o tempo de desenvolvimento e o risco.

3. Não basta ter um ótimo produto

Essa é uma parte sensível no nosso mercado. Em mais de 10 anos suportando centenas de clientes no Brasil e na América Latina, posso afirmar categoricamente, nem sempre o melhor produto é aquele que mais vende.

Não basta ter um ótimo produto e não conseguir acessar o seu cliente. É preciso que o empresário tenha uma estrutura de canais coerente para o mercado que ele queira atender.

O produto tem que ser ofertado no preço certo, no lugar certo, na hora que o cliente está inclinado a consumir.

*Ricardo Buranello é vice-presidente da multinacional italiana Telit para a América Latina.