Negócios

Da Rússia para a Suíça: Kaspersky Lab transfere infraestrutura para Zurique

Empresa abre seu primeiro Centro de Transparência e, até o final de 2019, dados dos clientes serão armazenados e processados em Zurique

16 de Maio de 2018 - 09h55

A Kaspersky Lab confirmou rumores e confirmou que está migrando sua infraestrutura da Rússia para a Suíça. A ação faz parte da iniciativa de transparência global da companhia, que agora irá armazenar e processar dados de clientes da maioria de suas regiões em Zurique.

O local também terá montagem de software, incluindo atualizações de detecção de ameaças. Para assegurar a total transparência e integridade, a Kaspersky Lab diz que está providenciando que essa atividade seja supervisionada por uma entidade externa independente, também sediada na Suíça.

Anunciada em outubro de 2017, a iniciativa reflete o compromisso permanente da Kaspersky Lab de garantir a integridade e a confiabilidade de seus produtos. As novas medidas representam os próximos passos de evolução dessa iniciativa, mas também refletem o empenho da empresa em trabalhar com terceiros para enfrentar os crescentes desafios relacionados à fragmentação do setor e à quebra de confiança. A confiança é fundamental na área de cibersegurança e, no entendimento da Kaspersky Lab, confiança não é algo que se dá. Ela deve ser conquistada continuamente por meio da transparência e responsabilidade.

Até o final de 2019, a Kaspersky Lab terá consolidado seu data center em Zurique. Essa unidade armazenará e processará todas as informações de usuários da Europa, América do Norte, Singapura, Austrália, Japão e Coreia do Sul, e mais países serão incluídos em breve. Essas informações são compartilhadas voluntariamente pelos usuários com o Kaspersky Security Network (KSN), um sistema avançado baseado em nuvem que processa automaticamente dados relacionados às ameaças cibernéticas.

Ao comentar sobre a transferência dos processos e a abertura do Centro de Transparência, Eugene Kaspersky, CEO da Kaspersky Lab, disse que, em um setor que muda rapidamente como o de segurança, é preciso se adaptar às necessidades dinâmicas dos clientes, pessoas envolvidas e parceiros. "A transparência é uma dessas necessidades; por isso decidimos redefinir nossa infraestrutura e transferir nossas unidades de processamento de dados para a Suíça. Acreditamos que essa medida se tornará uma tendência internacional para a cibersegurança, e que uma política de confiança logo será requisito básico fundamental no setor", afirmou.

Resposta aos EUA

Na prática, a ação da Kaspersky é uma clara resposta aos ataques do govenro norte-americano, que acusa a empresa de colaborar com a espionagem russa. O Departamento de Segurança dos EUA proibiu o uso de qualquer software da Kaspersky nas agências do País.

Outros países, como Holanda e Reino Unido, também levantaram suspeitas e aumenatram a pressão sobre a empresa russa. Agora, em um dos países considerados mais seguros para armazenamento de dados, a companhia espera iniciar uma nova era.