Carreira > Empregos

Crossover vai recrutar até 50 programadores brasileiros para trabalho remoto a empresas dos EUA

No "torneio de contratação" do mês passado, em São Paulo, 27 brasileiros foram contratados com salários entre R$ 187 mil e R$ 321 mil ao ano — e nenhum teve que sair do Brasil

15 de Agosto de 2017 - 16h59

A Crossover, empresa de recrutamento e tecnologia com sede no Texas (EUA), está oferecendo aos brasileiros a oportunidade de trabalhar para empresas norte-americanas, ganhando salário de primeiro mundo, sem a necessidade de deixar o conforto e a estabilidade do seu país de origem.

No mês passado, a empresa realizou uma competição de codificação de um dia em São Paulo, a qual contou com a participação de 133 brasileiros, dos quais 27 especialistas em Java Script foram selecionados para trabalhar remotamente. A Crossover calcula que o evento gerou mais de US$ 2 milhões à economia do país em apenas 24 horas, e já programou sua segunda competição de codificação no Brasil, que será realizada no dia 26 de agosto, no Rio de Janeiro.

O próximo "torneio de contratação" da empresa dará outra chance aos especialistas brasileiros em codificação de ganhar uma das vagas para até 50 empregos remotos de engenheiros de software sênior, com a possibilidade de um salário anual de até R$ 321 mil. Os cargos disponíveis são todos em empresas de software dos EUA que procuram programadores em Ruby on Rails ou PHP.

A Crossover começou a organizar seus eventos de contratação gamificada e competitiva de um dia há sete meses em toda a Europa Oriental, África do Norte e Ásia Ocidental, incluindo Polônia, Rússia, Egito e Paquistão. Semelhante a um "hackathon", eles envolvem profissionais seniores — principalmente engenheiros de software — para uma série de testes básicos, alguns desafios de codificação, e uma entrevista técnica.

Para aqueles que se destacam com os melhores resultados são oferecidos, instantaneamente, um trabalho remoto com empresas americanas, como Aurea Software, Jive, CrazyEgg e Versata. No evento do mês passado, em São Paulo, a Crossover confirmou a contratação de 11 engenheiros de software sêniores em JavaScript, cada um ganhando R$ 321 mil por ano, e 16 engenheiros de software em JavaScript, cada um ganhando R$ 187 mil por ano.

"Após o sucesso do nosso evento no mês passado em São Paulo, onde injetamos mais de US$ 2 milhões na economia brasileira praticamente da noite para o dia, estamos de volta, desta vez com o objetivo de contratar até 50 programadores", disse Andy Tryba, CEO da Crossover. "Dada a instabilidade dos imigrantes no mundo atualmente, acreditamos que os brasileiros acharão a possibilidade de trabalhar em casa, ganhando um salário no nível dos EUA, ainda mais atraente".

Todos os cargos são de período integral e de longa duração, e os contratados devem trabalhar 40 horas por semana em horário flexível.  Os funcionários podem, por exemplo, aproveitar a Lapa em uma noite de quinta-feira, tirar folga na sexta-feira e trabalhar mais no sábado; ou trabalhar durante a noite e relaxar na praia de Ipanema durante o dia.

Com todas as posições 100% remotas, aqueles que são contratados pela Crossover não precisarão — nem se espera isso deles — se mudarem. Os funcionários podem realizar o trabalho de onde quiserem, seja no Rio de Janeiro, Lisboa ou Londres. Ao permanecer no Brasil, no entanto, o dinheiro fornecido pela Crossover é injetado diretamente na economia do país.

"Uma vez que um engenheiro de software brasileiro experimenta a liberdade do trabalho remoto, ele não tende a retornar ao trabalho fixo em escritório", diz Tryba.

Os programadores com a experiência necessária em Ruby on Rails ou PHP e interessados em participar do torneio de contratação devem se inscrever no site: http://bit.ly/2vD2egI. Os assentos no evento são limitados para 200 pessoas.