TI na Prática > ERP

CopaStar usa plataforma Soul MV para a gestão das informações hospitalares

Dados de peso do paciente, inclinação da cama e até temperatura do quarto são captados por meio de um iPad acoplado ao sistema de cama inteligente

24 de Outubro de 2016 - 14h32

Para apoiar a gestão das informações de saúde, o novo hospital cinco estrelas da Rede D'Or São Luiz, o CopaStar, que começou a operar este mês no Rio de Janeiro, optou pela implantação da plataforma Soul MV.

“No CopaStar, a MV foi contratada para consolidar o conceito de hospital digital por meio da alta capacidade tecnológica e interoperabilidade da sua plataforma”, comenta Paulo Magnus, presidente da MV. Segundo ele, integrado a 15 sistemas de outros fornecedores e adequado ao modelo Enterprise Service Bus (ESB) da Rede D’Or São Luiz para gestão de integrações, o Soul MV possibilita redução de custos e evita duplicidade de dados.

Integrado a diferentes tecnologias, trabalha, por exemplo, com prontuário eletrônico recebendo e armazenando informações de variados equipamentos médicos, como monitores de sinais vitais, bombas de infusão, glicosímetros e ventiladores pulmonares. Assim, a evolução clínica, a resposta a tratamentos e as alterações de parâmetros fisiológicos do paciente podem ser acompanhadas em tempo real por médicos ou enfermeiros em qualquer local e por qualquer dispositivo com acesso à aplicação.

Outras informações, mesmo originárias de tecnologias de outros fornecedores, são registradas eletronicamente no prontuário do paciente internado para ajudar as equipes de saúde na execução de protocolos clínicos. O iPad acoplado ao sistema de cama inteligente é um exemplo. Permite captar dados relativos a peso do paciente, posição e inclinação da cama e até temperatura e iluminação do quarto.

Além disso, a adoção de um dispensário eletrônico integrado a soluções de suprimento e prescrição da MV confere agilidade e acuracidade à automação aplicada à gestão da farmácia hospitalar. Armazenando medicamentos e materiais médico-hospitalares abastecidos com frequência por funcionários da farmácia e acessados exclusivamente pela enfermagem, por meio de um leitor de código de barras, o dispensário libera o produto conforme a prescrição registrada no prontuário eletrônico do Soul MV.

O sistema também adota um conceito próprio para o faturamento, baseado no fluxo de autorizações e trâmite interno de documentações para envio às operadoras de planos de saúde. Por meio de uma Central de Autorização e Documentos, o Soul MV funciona de modo proativo no fluxo de faturamento de contas médicas. De forma personalizada, a plataforma disponibiliza automaticamente aos usuários o passo a passo para a realização dos processos de cada convênio, que englobam preenchimentos de diferentes protocolos, cumprimento de prazos e outras exigências. Com isso, o objetivo é dar ao hospital mais eficiência na solicitação de pré-autorizações, impactando diretamente no tempo de envio e recebimento em caixa.