Tecnologias Emergentes

Consumidores valorizam IoT, mas não confiam nela, revela pesquisa

Muitos poucos entendem no modo como os dados coletados pelos dispositivos de IoT estão sendo gerenciados e utilizados

10 de Janeiro de 2018 - 22h01

Consumidores estão dispostos a usar serviços de Internet das Coisas, apesar da falta de confiança em relação à segurança dos dados. É o que revela o estudo "IoT Value/Trust Paradox", realizado pela Cisco = nos EUA e Canadá com 3 mil consumidores.

Os resultados mostram que, enquanto a maioria dos consumidores acredita que IoT oferece serviços com valor significativo, muito poucos entendem ou confiam no modo como seus dados de IoT estão sendo gerenciados e utilizados.

Essas descobertas indicam que estamos nos aproximando de um ponto sem volta, em que os consumidores irrevogavelmente consideram IoT como parte integral de suas vidas. A Internet das Coisas está se tornando tão profundamente integrada às experiências diárias dos consumidores que é mais fácil tolerar a incerteza e os riscos do que se desconectar dela.

O anseio por transparência e visibilidade sobre como os dados estão sendo usados continua forte. Empresas que puderem resolver esse paradoxo para seus clientes têm maiores chances de acelerar e sustentar o crescimento de seus negócios em IoT.

"Como mais empresas desenvolvem negócios em torno dos serviços IoT, elas precisam entender primeiro a importância de orientar os clientes sobre como elas utilizarão seus dados a fim de prestar novos serviços que vão melhorar suas vidas", comenta Macario Namie, chefe da Estratégia de IoT da Cisco.

"Os consumidores estão pedindo mais visibilidade sobre as práticas relacionadas aos dados em IoT e, para aumentar os níveis de transparência em torno da governança e gestão desses dados, deve-se primeiro ser capaz de determinar quem, quando, onde e quais dados serão coletados. As atuais plataformas de IoT resolvem esse problema e podem ajudar a aumentar a confiabilidade dos consumidores, levando à maior adoção dos serviços", completa o executivo.

Confira as principais conclusões e recomendações do relatório:

1 - Conscientização: Duas vezes mais consumidores reconhecem dispositivos IoT pessoais do que os públicos. Quando os consumidores receberam uma ampla lista de dispositivos e pediram para identificar quais eram parte da Internet das Coisas, uma média de 63% identificaram corretamente os dispositivos pessoais em IoT (wearables, sistemas de segurança doméstica e outros), enquanto apenas 27% estavam cientes das implementações de IoT públicas (iluminação de ruas, medidores de energia, sistemas de tráfego e outros).

2 - Valor: Em relação ao espectro, o valor percebido que IoT traz à vida dos consumidores é bastante elevado: 53% dos entrevistados sentem que a IoT torna a vida deles mais cômoda, 47% afirmam que IoT os torna mais eficientes e 34% dizem que aumenta sua segurança.

3 - Confiança: Enquanto os consumidores estão vendo crescimento de valor nos serviços de IoT, eles estão muito preocupados com a segurança de seus dados e de como eles estão sendo usados. Apenas 9% dos entrevistados dizem confiar que seus dados coletados e compartilhados em IoT são protegidos. E apenas 14% sentem que as empresas estão fazendo um bom trabalho ao informar quais de seus dados são coletados e usados.

4 - O paradoxo em IoT: Os consumidores valorizam IoT, mas não confiam nela. Apesar da falta de confiança, não estão dispostos a se desligar dela: 42% dizem que IoT está tão integrada em suas vidas diárias que não são capazes de se desconectar desses dispositivos e serviços, independentemente do risco percebido.

A Cisco recomenda que as empresas usem essas informações e sigam as seguintes etapas para reduzir a distância entre valor e confiança em IoT:

1 - Estabelecer uma política de dados clara e concisa e compartilhá-la com seus usuários: As empresas devem ser capazes de garantir transparência sobre como estão usando e protegendo os dados e como isso pode ajuda a melhorar a experiência dos clientes.

2 - Ter controle granular sobre os dados: Para aumentar a transparência em relação à governança e a gestão dos dados em IoT, as empresas precisam inicialmente de uma plataforma IoT que possa ajudar a determinar quem, onde, quando e quais dados serão coletados.

3 - Promover a responsabilização em toda a cadeia de valor IoT: As empresas devem avaliar todos os provedores em sua cadeia de valor IoT e usar soluções para impor normas e requisitos mínimos de segurança e assim cobrar responsabilidade de cada provedor.

Para ter acesso ao estudo completo, incluindo todos os dados e visões de negócio sobre o que fazer para elevar a confiança dos consumidores e acelerar a adoção de IoT, faça o download do relatório aqui.