Cloud Computing > ERP

Cloud pode reduzir mais de 25% dos custos das empresas

Primeiro fator que influencia a migração do ERP para a nuvem é a redução de custos (50%), seguido pelo ganho da eficiência

17 de Junho de 2016 - 09h45

O uso do cloud computing vem revolucionando o modo como as atividades, as comunicações e os dados são gerenciados e armazenados. Além do benefício da mobilidade, permitindo que aplicações e documentos sejam acessados em diferentes plataformas por meio da internet, o cloud traz para as empresas outra grande vantagem: a redução de custos.

Um pesquisa que realizamos com 670 profissionais de TI, em dez países, revelou que as empresas de médio porte apresentam economia de mais de 25% nos custos quando utilizam sistemas em nuvem, em substituição a soluções “in house”.

Por utilizar o ambiente online, estes novos sistemas reduzem as despesas da empresa, uma vez que a necessidade de disponibilizar um ambiente físico para a localização dos servidores e a compra de máquinas, computadores e licença de softwares praticamente deixam de existir.

Com popularidade crescente, os serviços em cloud começam a avançar também para os softwares de gestão empresarial (ERP). Atualmente 20% das empresas utilizam soluções de ERP baseados na nuvem. Segundo o estudo, essa situação irá mudar, uma vez que cerca de 60% das pessoas que ainda não têm ERP em cloud estão interessados em adotá-lo, enquanto 55% querem a implementação de um software de gestão na nuvem com funcionalidades móveis.

Importante destacar que o ERP, independente do formato em que é adotado, é vital para que a empresa tenha o controle administrativo e, assim, a visibilidade necessária para seu crescimento. A adoção do ERP em nuvem aprofunda esses benefícios, trazendo não só flexibilidade, como também escalabilidade e, acima de tudo, agilidade para a gestão do negócio.

Ainda de acordo com o levantamento, o primeiro fator que influencia a migração da solução ERP para cloud é exatamente a redução de custos (50%). Em segundo lugar vem o ganho da eficiência (40%). No entanto, para que este movimento de troca aconteça, barreiras precisam ser superadas dentro da própria empresa. A maior delas é o receio de colocar em risco a segurança e a privacidade de dados.

As gerências de empresas que planejam fazer essa migração devem ter em mente que a transição entre os diferentes sistemas deve ocorrer de forma gradual, sobretudo quando envolver questões sensíveis com dados administrativos do negócio. Uma das formas mais recomendadas para que a passagem ocorra é por meio da adoção de um sistema híbrido, que contemple a transição dos dados e sistemas de modo paulatino, respeitando-se o ritmo de cada empresa. Com isso, certamente o uso de soluções cloud, seja em sistemas ERP ou em outros meios, trará ganho de produtividade e melhora no uso dos recursos.

*Rui Nogueira é diretor executivo do Sage X3 no Brasil