Gestão > Estratégia, Tendências

Cloud como commodity, luta por lucro e UX nortearão o futuro da TI

Relatório da CompTIA examina tendências e traça um panorama do que impactará o setor de TI ao longo dos próximos meses

02 de Fevereiro de 2016 - 16h54

A computação em nuvem vai se tornar quase tão comum como acender as luzes; fornecedores de tecnologia e seus parceiros irão lutar pela margem nas vendas; e as empresas vão buscar melhores experiências para o usuário final. Esses três cenários figuram em uma pesquisa sobre tendências para 2016 realizada pela CompTIA.

Cada mês de janeiro, a associação divulga o estudo IT Industry Outlook, examinando as principais tendências e fatores de crescimento que irão moldar a indústria de TI, canais de vendas e força de trabalho ao longo do ano.

Segundo a edição mais recente do relatório, o setor de tecnologia deverá acrescentar cerca de US$ 100 bilhões em novas receitas em 2016, elevando o total dos US$ 3,7 trilhões para US$ 3,8 trilhões.

“Bater este número vai envolver uma mistura de categorias de produtos fundamentais, como computadores ou servidores pessoais, suplementadas com categorias emergentes adicionando novos fluxos de receita”, observa o documento.

A pesquisa revela que executivos de TI estão mais otimistas sobre aplicações e infraestrutura em nuvem, segurança, mobilidade e análise de dados. A forte demanda do usuário por expertise em integração, otimização e gerenciamento da tecnologia deve ajudar a impulsionar o crescimento dos serviços para um nível mais elevado do que a média.

As expectativas mais altas são para cloud computing. Este sentimento é corroborado por outras pesquisas da CompTIA com usuários finais e parceiros de canal.

“A demanda dos clientes para componentes IaaS e SaaS irá acelerar à medida que prosseguem as estratégias de negócios digitais”, defende a entidade. Do lado da oferta, os fornecedores de soluções e outros tipos de parceiros de canal continuarão a expandir suas ofertas de nuvem, juntamente com a especialização em áreas de serviços, tais como integração, APIs, e personalização.

Outro produto bem posicionado e com potencial de crescimento é segurança. “Esta categoria não é mais restrita no sentido tradicional de firewalls ou antivírus, mas sim, a um amplo conjunto de ferramentas e salvaguardas destinadas a combater o, sempre, universo em expansão de ameaças à segurança”, indica o estudo. Para 43% dos executivos de TI existe potencial para a categoria de segurança ultrapassar as expectativas de crescimento.

Para 2016, a previsão da CompTIA aponta, também, o crescimento de 4,7% dos projetos no mercado norte-americano. Os executivos da indústria acreditam que esse crescimento será nas categorias de hardware, software, serviços e telecomunicações, suplementado com novos fluxos de receitas a partir de categorias emergentes.

Doze tendências que irão influenciar a indústria de TI em 2016

• Ir além da interface do usuário: a experiência do usuário dirige as iniciativas tecnológicas;

• Políticas tecnológicas têm uma cadeira na mesa de assuntos da eleição presidencial dos Estados Unidos;

• Negócios digitais abrangem mais do que o departamento de TI;

• Esforço das organizações em desenvolver mais talentos tecnológicos in-house;

• Cloud é a "nova eletricidade" e vira commodity;

• Companhias vão para ofensiva em relação a segurança;

• A procura por Analytics esquenta novamente;

• A camada de software recebe mais atenção;

• Esforço para que os programas de parceria de vendas dos provedores de TI ganhem velocidade;

• Quem será seu fornecedor TI, afinal?

• Pulo no crescimento dos data centers;

• Mais proximidade com o cliente.