Segurança > I.A.

Citrix reforça cloud, analytics e segurança para mobilizar o futuro do trabalho

Durante o Citrix Synergy, companhia anunciou soluções que melhoram e seguram a gestão do trabalho móvel e uso de IA para detectar possíveis ameaças de segurança

24 de Maio de 2017 - 15h07

 

Sob a luz do recente mega-ataque do ransoware WannaCry, a Citrix anunciou nesta terça-feira, 23, uma série de soluções que visam assegurar a forma como empresas administram seus dados e aplicações. O CEO da companhia, Kirill Tatarinov, apresentou as novidades durante o Citrix Sinergy, evento anual da empresa que acontece nesta semana em Orlando, Flórida (EUA).

 

"O mundo está sob um severo e constante ataque virtual", pontua o executivo. "Esse é o momento onde realmente precisamos pensar sobre o nosso inimigo e em nossas defesas. É difícil prever o futuro, contudo, no mundo da cibersegurança é seguro dizer que na semana que vem haverá outro malware tentando roubar informações sensíveis, atacar nossos dados, criptografar nossas informações. Esse é um ponto muito importante na nossa indústria, e não podemos deixar que outro ataque seja um alerta", destacou Tatarinov para depois afirmar que o WannaCry não atingiu nenhum de seus clientes.  

 

Segundo o executivo, a Citrix tem caminhado "para se tornar uma verdadeira ponte de segurança para as empresas, muito mais do que no passado". Um movimento que se tem refletido no redirecionamento de investimentos com foco em segurança, disse Tatarinov, estratégia que também visa atender a um mercado crescente. De acordo com o relatório Cybersecurity Market Report, de 2017 a 2021, a previsão é que sejam investidos mundialmente US$ 1 trilhão em soluções de segurança.

 

Fato é que a segurança de aplicações, documentos e dados corporativos sempre passará por um elo sensível: nós, humanos. No início deste ano, a Citrix divulgou um estudo sobre o "Trabalhador Digital", considerando quesitos de segurança das informações corporativas. No Brasil, 80% dos entrevistados afirmaram discutir assuntos da empresa em aplicativos de mensagens como WhatsApp, algo que abre brecha para o vazamento de informações sigilosas.

 

Ao mesmo tempo, outro estudo global encomendado pela fornecedora de software identificou que 83% das empresas em todo o mundo consideram que a complexidade organizacional é a causa do maior risco. Em resumo, funcionários, na maioria das vezes, não seguem os requerimentos de segurança corporativa, porque essas exigências dificultam a sua produtividade e prejudicam sua capacidade de trabalhar segundo suas preferências.

 

Tais estudos só reforçam o mercado em potencial para a nova e melhorada área de trabalho habilitada na Citrix Cloud, solução que a companhia batizou de Citrix Workspace Service. Com foco na experiência do usuário, a plataforma consegue unificar o acesso e melhorar a gestão de aplicativos, produtos SaaS, aplicações web, aplicativos Windows, documentos, dados e fluxo de trabalho em um único painel. A partir dele, usuários conseguem, por exemplo, criar, editar e colaborar em documentos online do Microsoft Office 365 de onde estiverem. 

 

A nova área de trabalho foi feita para ser "contextual", algo que visa assegurar que funcionários tenham equilíbrio entre segurança, produtividade e performance baseado em dispositivos, localização, gestão de identidade e analytics.

 

A ideia é que com apenas uma entrada, usuários ganham "acesso simples e seguro para uma experiência consistente e fluida em qualquer dispositivo", explicou Calvin Hsu, vice-presidente de marketing de produto durante a Synergy.  Ao simplificar algo tido como complexo por funcionários, a Citrix defende que as organizações conseguirão não só reduzir riscos de segurança, como ganhar em produtividade.

 

Segurança proativa

 

À medida que se habilita uma nova geração de funcionários para trabalhar de forma remota e em qualquer lugar, a segurança de dispositivos e informações se torna prioritária. Durante o Synergy, a companhia também anunciou a Citrix Analytics, plataforma de segurança e analytics que estende as ofertas para as soluções NetScaler Management e Analytics System (MAS) com nova detecção de comportamento, insights e capacidades proativas de resolução de risco.

 

Também entregue através da Citrix Cloud, a solução recorre à inteligência artificial e machine learning para identificar de forma mais rápida e automatizada anomalias nos padrões de segurança.  A solução coleta e analisa dados a partir do portfólio de produtos Citrix, incluindo o XenApp, XenDesktop, XenMobile, ShareFile e NetScaler e monitora usuários em tempo real para qualquer comportamento suspeito. Dessa forma, gerentes de TI conseguem visualizar e contextualizar como dados estão sendo transmitidos e se há violação nas proteções de segurança.

 

Se o recurso identificar uma ameaça, como o aumento no download de dados, ele poderá colocar o usuário em questão em quarentena ou mesmo bloqueá-lo. "Isso significa que nenhum gerente de TI será acordado às 3h da manhã para lidar com uma potencial ameaça de segurança, já que o analytics o fará por conta própria", explica Hsu.

 

A Citrix também atualizou sua abordagem geral de segurança com controles de acesso condicional com base em usuários, end points e redes. Hsu defende que um perímetro definido por software ajuda a estender a proteção e o monitoramento proativo ajuda a detectar ameaças para que os usuários possam responder mais rapidamente. Aqui, facilitar a transição de aplicativos e dados para a nuvem é essencial.

 

 As novas ofertas da Citrix visam sustentar o que a companhia defende para o "futuro do trabalho", tema que pauta a edição do Citrix Synergy deste ano.

 

"O mundo se dividiu em dois, metade das pessoas que participa agora das atividades econômicas se considera nativa digital e essas pessoas esperam que seus aparelhos estejam com elas em todos os lugares", disse Tatarinov à plateia. "Para essa nova população de trabalhadores, o trabalho não é mais um local, é uma atividade. E elas esperam que sua área de trabalho seja virtual.”

 

Tatarinov segue explicando porque é importante seguir tal tendência, ressaltando que a transformação digital de empresas passa inevitavelmente pelas pessoas. Afinal de contas, chegará um momento onde toda a população de uma empresa será nativa digital.

 

"Nós participamos dessa revolução digital que empurra os limites das empresas, que empurra os limites de como as pessoas trabalham e interagem uma com as outras. A Citrix está focada em habilitar esse novo mundo do trabalho, e hoje mais do que nunca, oferecemos relevantes tecnologias, capacidades para permitir isso, porque são pessoas que realmente alimentam a transformação digital. E o aspecto humano dos negócios é o condutor mais importante."

 

*A jornalista viajou a Orlando a convite da Citrix Brasil.