TI na Prática > Inovação

CI&T investe R$ 10 mi em espaço de criação de experiências digitais

O novo espaço, chamado de Prisma, fica no Pólis de Tecnologia em Campinas. Empresa aposta em ambientes de cocriação para estimular transformação digital

05 de Dezembro de 2016 - 13h03

A CI&T, especializada em soluções digitais, acaba de colocar em operação um novo espaço de criação de experiências digitais em Campinas, no Pólis de Tecnologia onde mantém sua sede. A multinacional brasileira investiu R$ 10 milhões no Prisma, como é chamada a nova unidade de 4,6 mil metros quadrados.

Quem visita o local tem imediatamente a percepção de estar num ambiente diferente. Ali pode-se ver a aplicação prática de tecnologias de ponta como Internet das Coisas (IoT) e machine learning, a experimentação com protótipos físicos (impressos em 3D, ali mesmo) e digitais, ao mesmo tempo em que se observa equipes utilizando princípios lean no seu dia a dia, com gestão à vista, métricas e redução de desperdício, e dinâmicas intensas de ideação, desenho e validação de experiências. Todo o ambiente reflete o pioneirismo e liderança da empresa na condução de processos de transformação lean digital.

Com o Prisma, a CI&T diz que expande sua estrutura para apoiar grandes empresas a realizarem às mudanças exigidas pelo novo consumidor da era digital, trabalhando lado a lado na execução efetiva dessa transformação, desde a definição de estratégias até o sucesso de produtos digitais. "O espaço recebeu esse nome por ser o lugar onde as ideias nascem e são transformadas em valor para os clientes. O Prisma suportará o crescimento contínuo da CI&T, que vem mantendo o ritmo de dobrar de tamanho a cada três anos", diz Cesar Gon, CEO e fundador da CI&T.

A nova sede, segundo ele, irá apoiar as operações locais e internacionais. Exportamos soluções digitais inovadoras para líderes globais nos EUA, Europa e Ásia. "Atualmente, as exportações representam cerca de 40% das receitas da CI&T", completa Gon.

O diretor executivo responsável pela concepção do Prisma da CI&T, Daniel Jerozolimski, explica que a empresa utilizou o método de design sprint para projetar todos os ambientes da nova sede e convidou funcionários, além das equipes de arquitetos e projetistas, para contribuir com ideias. "Criamos espaços abertos para estimular a colaboração entre as equipes. As salas são especialmente concebidas para o trabalho de cocriação, onde equipes multidisciplinares desenham novos serviços e produtos baseados em soluções digitais".

Nos últimos 18 meses, a CI&T contratou 650 profissionais, atingindo de 2,1 mil empregados. A empresa também abriu dois novos escritórios nos Estados Unidos (Los Angeles e Chicago) e no Brasil investiu R$ 4 milhões em um novo endereço na capital mineira, um de seus centros globais de excelência em mobile e tecnologias digitais.