Negócios > APPs

Chinesa Tencent supera Facebook em valor de mercado

Capitalização da gigante chinesa subiu mais 2,4% nesta terça-feira, 21, o que fez seu valor de mercado atingisse US$ 523 bilhões, superando em US$ 4 bilhões o Facebook, cujo valor de mercado é de US$ 519 bilhões

21 de Novembro de 2017 - 20h10

Um dia após alcançar uma capitalização de US$ 500 bilhões, a Tencent Holdings, maior empresa de rede social e de mídia online da China, superou nesta terça-feira, 21, o Facebook em valor de mercado. A capitalização da Tencent subiu mais 2,4% nesta terça-feira, o que fez seu valor de mercado atingisse US$ 523 bilhões, superando em US$ 4 bilhões o Facebook, cujo valor de mercado é de US$ 519 bilhões. Ela só fica abaixo da Amazon, com US$ 543 bilhões, segundo o FactSet.

A Tencent abriu seu capital em junho de 2004, ou seja, levou mais de 13 anos para chegar aos US$ 500 bilhões. Apenas outras três empresas atingiram esse patamar mais rápido: Facebook, Cisco Systems e a controladora do Google, a Alphabet. A Apple, por exemplo, levou mais de três décadas para chegar a US$ 500 bilhões, em 2012.

Na semana passada, ao divulgar a previsão de resultados financeiros trimestrais, a companhia anunciou a intenção de lançar o seu serviço de pagamento eletrônico WeChat Pay na Malásia, segundo informou a Reuters.

A gigante chinesa já opera com o seu aplicativo de mensagens WeChat no país asiático, onde, segundo ela, já possui mais de 20 milhões de usuários. A Malásia foi o primeiro país estrangeiro a ter uma operação da Tencent.

Segundo disse em entrevista a Business Insider o vice-presidente sênior da Tencent, S.Y. Lau, a companhia fez um grande "avanço" na obtenção de uma licença para operar com pagamento eletrônico na Malásia para transações locais, e planeja lançar o serviço no início do próximo ano.

O Sudeste Asiático, que abriga mais de 600 milhões de pessoas e algumas das economias de mais rápido crescimento do mundo, tem sido um campo de batalha fundamental para os titãs tecnológicos da China que lutam por negócios. Os chineses étnicos representam mais de um quinto da população da Malásia.