Cloud Computing > Cloud Pública

CERN seleciona T-Systems e Huawei para criar nuvem híbrida europeia

Serviço de nuvem pública aberta vai atender dez das principais organizações públicas de pesquisa da Europa

24 de Novembro de 2016 - 16h29

A T-Systems fechou um contrato-quadro para um contrato pré-comercial conjunto, liderado pelo Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (CERN), que cobre o projeto, prototipagem e fase piloto da nuvem científica Helix Nebula.

A T-Systems, apoiada pela Huawei, sua parceira de tecnologia, desenvolverá a solução com base em seu serviço de nuvem pública aberta Open Telekom Cloud, que foi lançado em março deste ano e que atualmente suporta cargas de trabalho de várias empresas líderes, empresas de pequeno e médio porte e organizações do setor público. 

O contrato conjunto no valor de 5,3 milhões de euros, liderado pelo CERN, estabelecerá uma plataforma europeia de nuvem híbrida, projetada para suportar casos científicos de uso de alto desempenho e grande volume de dados, patrocinados por dez das principais organizações públicas de pesquisa da Europa e cofundada pela Comissão Europeia. Um total de 28 companhias multinacionais, empresas de pequeno e médio porte e organizações de pesquisa de 12 países apresentaram propostas durante o verão. O contrato começará com a fase de projeto, onde quatro consórcios selecionados competirão para seguir para a fase da prototipagem.

O CERN opera uma das maiores nuvens privadas OpenStack de todo o mundo com mais de 7 mil servidores e 190 mil núcleos. Na medida em que mais e mais organizações de pesquisa estão começando a usar os serviços em nuvem, cresce a demanda por capacidade dinâmica que possa ser ativada de forma transparente em uma nuvem híbrida.

A Open Telekom Cloud, operada pela T-Systems e sua parceira de tecnologia Huawei, é baseada na arquitetura de fonte aberta OpenStack e facilita o gerenciamento e migração de dados e recursos entre nuvens privadas e públicas.

Como parte de um contrato anterior em 2016, o CERN e a T-Systems avaliaram as capacidades da Open Telekom Cloud em um projeto piloto de três meses. "Após testes extensivos, ficou aparente que a Open Telekom Cloud pode suportar as cargas de trabalho de alto desempenho e grande volume de dados que são exigidas", disse Andreas Falkner, vice-presidente da divisão digital da T-Systems.