Carreira

Campanha salarial dos trabalhadores de TI de SP terá primeira rodada de negociação dia 10

Aumento real, jornada de 30 horas e ampliação de benefícios estão na pauta de negociação

05 de Janeiro de 2017 - 11h23

A primeira rodada de negociação da Campanha Salarial 2017 dos trabalhadores de TI do estado de São Paulo ocorrerá na próxima terça-feira, 10. Dirigentes do Sindpd (Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados e Tecnologia da Informação do Estado de São Paulo) e do Seprosp (Sindicato das Empresas em Processamento de Dados e Serviços de Informática do Estado de São Paulo) se reunirão para dar início às discussões envolvendo a pauta da categoria. O encontro será na sede do Seprosp, na capital paulista.

A pauta que será negociada foi aprovada pelos trabalhadores de TI após uma sequência de encontros que culminou com a assembleia realizada na sede do Sindpd, no início de dezembro. Antes, outras 14 assembleias já haviam ocorrido em todo o estado. No total, cerca de 3 mil profissionais participaram das votações que definiram os rumos da campanha.

"A pauta da Campanha Salarial 2017 foi amplamente referendada pelos trabalhadores. Agora, temos o desafio de levar adiante a luta pela ampliação de benefícios e direitos para toda a categoria", disse o presidente do Sindpd, Antonio Neto.

Principais bandeiras

Entre as principais bandeiras da campanha está o reajuste salarial com aumento real para os trabalhadores. O Sinpd pleiteia a correção acumulada do INPC de 2016 acrescida de 3% de aumento real. O objetivo é garantir aos trabalhadores de TI a manutenção do poder de compra dos salários nesse período de crise econômica que atinge o país.

A redução da jornada de trabalho de 40 para 30 horas semanais, sem diminuição proporcional de salário, também faz parte da pauta. Com a redução da jornada, o objetivo é que os trabalhadores tenham mais tempo livre para o descanso e para se dedicar à família, mas também consigam ampliar a sua qualificação profissional, uma exigência constante feita pelas próprias empresas.

Ampliação das conquistas

A pauta aprovada reivindica uma série de melhorias nos benefícios sociais. Uma delas inclui o pagamento do vale-alimentação de forma conjunta com o vale-refeição (VR). Hoje, apenas o custeio do VR é obrigatório. Outra demanda prevê que as empresas assumam integralmente o pagamento dos planos médico e odontológico dos trabalhadores, que atualmente são responsáveis por uma coparticipação.

Também estão entre as propostas a ampliação do valor pago como hora extra. Hoje, as empresas são obrigadas a pagar um percentual de 75% nas duas primeiras horas. A pauta prevê pagamento de 100% nas duas primeiras horas e de 150% nas demais, além de sábados, domingos e feriados.

Benefícios que já foram consolidados nos últimos anos também integram a pauta, como a obrigatoriedade de que todas as empresas do setor apresentem propostas para pagamento de PLR (Participação nos Lucros ou Resultados).