Negócios > Open Source

CA Technologies, Cisco, HPE, Microsoft, SAP, e Suse se unem a projeto open source

Empresas aderem à iniciativa da Red Hat para aumentar previsibilidade no licenciamento open source

09 de Abril de 2018 - 15h40

Seis importantes empresas de tecnologia se juntaram à força-tarefa de promover maior previsibilidade no licenciamento open source. A iniciativa promovida pela Red Hat agora conta com surpote de CA Technologies, Cisco, HPE, Microsoft, SAP, e Suse, que se comprometem a ampliar os direitos adicionais para resolver licenciamentos open source que não se encontram em conformidade.

O foco é levar a uma maior cooperação com distribuidores de software com licença aberta para corrigir erros e uma maior participação no desenvolvimento de softwares open source.

A GNU General Public License (GPL) e a GNU Lesser General Public License (LGPL) estão entre as licenças de software mais amplamente usadas, cobrindo muitos projetos importantes, incluindo o Linux kernel. A versão 3 do GPL (GPLv3) trouxe uma abordagem ao termo que oferece aos distribuidores do código uma oportunidade de corrigir erros e enganos no compliance de licenças. Esta abordagem permite a fiscalização consistente de compliance de licenciamento em uma comunidade em que abordagens desastradas à fiscalização, incluindo sobre ganhos financeiros, não têm lugar.

Em novembro de 2017, Red Hat, Facebook, Google e IBM se comprometeram a ampliar a abordagem GPLv3 para erros de compliance de licença no código do software que cada uma delas contribuiu sob o GPLv2 e LGPLv2.1 e v2. Com o anúncio, agora são 10 empresas que se comprometeram publicamente a fornecer maior previsibilidade para usuários open source. Os enormes ecossistemas de projetos que utilizam as licenças GPLv2 e LGPLv2.x irão se beneficiar da adoção dessa abordagem mais equilibrada à terminação derivada do GPLv3.

Janaka Bohr, chefe de cumprimento de licenciamento da SAP, comenta que cada vez mais usuários de software open source estão preocupados com infrações não intencionais aos termos de licenças associados e exposição inadvertida a riscos legais. "A SAP acredita que a iniciativa de aplicação das provisões de reparação sobre infrações do GPLv3 ao GPLv2 é um passo na direção certa para proteger os princípios do open source", destaca.

Já Erich Andersen, vice-presidente corporativo e consultor-chefe de propriedade intelectual da Microsoft, afirmou que a empresa quer facilitar para que os desenvolvedores construam ótimos produtos usando licenças populares na comunidade. Segundo ele, a empresa acredita que essa parceria ajudará no avanço de uma regra da indústria sobre esta importante questão e irá contribuir para aumentar a colaboração e a inovação na comunidade Linux.