Segurança

Brasileiros confiam em seus médicos para segurança de dados digitais

Relatório da Accenture mostra impacto da cibersegurança na área de saúde para consumidores

01 de Março de 2018 - 11h32

A maioria dos consumidores brasileiros (79%) confia que seus médicos e outros provedores de saúde mantêm seus dados digitais em segurança. De acordo com pesquisa da Accenture, os consumidores acreditam que os provedores de saúde estão tomando medidas para proteger os dados de saúde dos pacientes, mas, por outro lado, 83% se preocupam com violações, mais do que em qualquer outro país da pesquisa.

Para entender melhor as atitudes do consumidor em relação a dados de saúde, confiança digital, funções e responsabilidades, compartilhamento de dados e violações, a Accenture realizou uma pesquisa em sete países. O relatório foca nos resultados dos consumidores brasileiros em relação à cibersegurança no setor de saúde e confiança digital.

O estudo indica que 28% das pessoas têm muita confiança nas instituições de saúde. Um percentual parecido confia nos laboratórios que processam seus exames médicos (77%), em sua farmácia (70%), no suporte de TI do consultório do seu médico ou de outros locais de saúde (70%) e nos hospitais que visitam (68%).

Ainda, um número menor confia nos funcionários não médicos do consultório de seu médico ou do escritório do seu provedor de saúde (61%) e apenas 37% confiam no governo para manter seus dados digitais de saúde em segurança.

Violação de dados

O levantamento mostra também que, dentre os 19% dos brasileiros que sofreram violação de dados, 29% mudaram senhas ou outras credenciais, 25% mudaram de provedor de saúde, 20% buscaram assessoria jurídica ou envolveram a polícia.

Confira o estudo completo