Cloud Computing > Aplicativos

Brasil ajuda resultado global da SAP com ofertas em nuvem

SAP Brasil registrou crescimento de três dígitos com a receita total de vendas de cloud, o que contribuiu para a receita global recorde do negócio de nuvem da empresa em 2016

27 de Janeiro de 2017 - 12h53

O crescimento recorde da receita do negócio de nuvem da SAP no quarto trimestre do ano passado, que saltou de 631 milhões de euros em 2015 para 827 milhões de euros, teve uma contribuição expressiva da subsidiária brasileira da companhia. Do mesmo modo como ocorreu globalmente, 2016 foi o ano da expansão acelerada da empresa alemã no mercado brasileiro de serviços em nuvem.

Embora a SAP não divulgue números regionais, a receita total de vendas de cloud (cloud bookings), tanto no último trimestre quanto no ano de 2016, cresceram três dígitos. A receita de serviços também registrou expansão no ano, atingindo uma alta de dois dígitos. No quarto trimestre, os destaques do portfólio de cloud, foram as vendas de soluções CEC (engajamento de clientes e comércio), que incluem o SAP CRM, SAP hybris, entre outras aplicações em nuvem, e da SAP HANA Enterprise Cloud (HEC), plataforma que permite a transição do ambiente on premises de aplicações para a nuvem.

E esse desempenho, segundo a presidente da SAP Brasil, Cristina Palmaka, pode ser atribuído à capacidade da companhia de transformar estratégias em resultados efetivos. A mudança teve início há cerca de seis, quando a SAP se reposicionou para se tornar uma empresa de oferta em nuvem, e não apenas de sistema de gestão empresarial (ERP).

Como parte da estratégia, a executiva conta que a SAP passou a adquirir uma série de empresas para ampliar suas ofertas em nuvem. “Esse projeto começou com a compra da Sybase em 2010, se estendeu com as aquisições da Ariba [empresa de soluções colaborativas para o comércio eletrônico B2B] e Success Factors [fornecedora de software gestão de recursos humanos], e prosseguiu com a compra em 2014 da Concur Technologies [fornecedora de software de gerenciamento de viagens e despesas], entre outras”, enumera Cristina.

A estratégia da SAP, segundo ela, foi ter também um leque de soluções que complementassem o ERP, até então o carro-chefe da empresa, que em 2010 foi totalmente redesenhado para operar com o sistema de gerenciamento de banco de dados do HANA. Em 2015, o sistema foi novamente repaginado, resultando na versão do S/4 HANA, já com perfil de plataforma de processamento de dados em tempo real para gestão de negócios, análise de dados e computação em nuvem.

“Os excelentes resultados que tivemos são produto não só da qualidade das soluções, mas da parceria de negócios que a SAP procura estabelecer com seus clientes”, destaca Cristina. “As empresas estão buscando eficiência em seus processos para se manterem competitivas e, do nosso lado, nossa missão é ajudá-las a iniciar ou a se manterem no caminho da transformação digital”. A executiva também ressalta que parte desse bom desempenho se deve ao resultado da estratégia de estímulo às vendas para novos clientes e não crescer apenas na base.

No quarto trimestre, a SAP Brasil conquistou importantes contratos, como Itaú, Aché Laboratórios, Burguer King, Honda e C-Vale. O Aché, laboratório farmacêutico 100% brasileiro, escolheu as soluções SAP Ariba e HANA Cloud Platform para melhorar a eficiência de custos através da adoção de uma plataforma integrada de compras que permite a automação e a adoção de melhores práticas. Já o Itaú, um dos vinte maiores bancos do mundo em valor de mercado, também adquiriu a solução SAP Ariba para gestão compras e de fornecedores.

On premises

Com relação às soluções on premises (modalidade de venda por licença de software), o destaque fica por conta das vendas SAP HANA, que registrou um aumento de dois dígitos no ano passado. 

Analisando os setores de mercado em que a SAP teve melhor desempenho de vendas on premise em 2016, vale destacar os de serviços financeiros e mineração, nos quais a companhia obteve aumento da receita de vendas na ordem de três dígitos. Já na modalidade de cloud, os segmentos que tiveram mais relevância foram produtos de consumo e serviços financeiros, ambos com alta de três dígitos.

A atuação da SAP Brasil no segmento de pequenas e médias empresas também continua a apresentar resultados expressivos. O software de gestão SAP BusinessOne, específico para este segmento, atingiu um crescimento de dois dígitos no ano ante os resultados aferidos em 2015.