Tecnologia > Estratégia, Utilities

Boeing cria célula de combustível que gera e armazena energia

Tecnologia será usada pela Marinha dos EUA e é única ao permitir armazenamento e produção de eletricidade em um único sistema

12 de Fevereiro de 2016 - 15h36

A Boeing anunciou que, após 16 meses de desenvolvimento, a companhia entregou uma célula de combustível para a Marinha dos Estados Unidos que consegue armazenar energia de fontes renováveis ao mesmo tempo que gera eletricidade com emissão zero de poluentes.

O sistema chamado de Solid Oxide Fuel Cell (SOFC) ou Células de Combustível de Óxido Sólido, que podem gerar 50 kilowatts (KW) de energia, é o maior do seu tipo e consegue usar eletricidade do vento (eólica) ou energia solar para gerar gás de hidrogênio, que é então comprimido e armazenado.

Quando é solicitada energia, o sistema opera como uma célula de combustível de óxido sólido, consumindo o hidrogênio armazenado para produzir eletricidade.

O sistema SOFC consegue escalar para fornecer mais de 400KW de energia. E está sendo testado como parte de uma micro rede de energia no Centro Warfare de Engenharia e Expedição no Port Hueneme, Califórnia.

“Essa nova célula de combustível é uma nova e excitante tecnologia fornecida aos nossos clientes com uma opção progressiva, acessível e ecológica de armazenamento e geração de energia”, disse Lance Towers, diretor do Programas de Tecnologias Avançadas da Boeing, em comunicado.

Uma célula de combustível é um dispositivo que usa energia química armazenada (nesse caso, hidrogênio) e a converte em eletricidade. No caso do dispositivo SOFC, ele usa energia solar para tirar água do mar de suas moléculas de hidrogênio por meio da eletrólise. O gás de hidrogênio então pode ser armazenado e depois usado em uma célula de combustível.

O gás de hidrogênio pode então ser armazenado e mais tarde utilizado na pilha de células de combustível, onde ele reage eletroquimicamente com o oxigênio no ar ambiente para produzir corrente elétrica, calor e de água.

Micro redes são infraestruturas de energia em pequena escala que operam de forma autônoma a partir de uma rede central.

Enquanto a energia solar é com frequência promovida como a fonte do futuro, para se ter uma comparação o gás natural contabiliza 67% da geração de microrede de energia do exército americano.

A tecnologia desenvolvida pela Boeing é única ao permitir ao mesmo tempo armazenamento e produção de eletricidade em um único sistema, tornando a tecnologia então “reversível”.

“O SOFC é uma tecnologia promissora para ilhas remotas e aplicações de expedição”, disse Michael Cruz, gerente de projeto do EXWC, em um relatório. “Combinado com matriz de energia solar fotovoltaica, um sistema SOFC gera eletricidade, água potável e calor com apenas dois inputs, sol e água do mar”.