Gestão > ERP

BioChimico ganha mais agilidade e eficiência com ERP na nuvem

Implementado em sete meses, o ERP da SAP já traz resultados positivos para a fabricante de remédios

28 de Março de 2017 - 19h14

Crescer de forma sustentável. Esse era o principal objetivo do Instituto BioChimico, empresa carioca do ramo farmacêutico focada no segmento hospitalar, quando escolheu a Engine, fornecedora brasileira de soluções de gestão empresarial em nuvem, para implantar o ERP da SAP na nuvem. Hoje, a fabricante de remédios já colhe os resultados práticos desse importante passo. Agilidade, tempo para pensar estrategicamente no negócio, maior controle e melhoria dos processos são alguns dos benefícios percebidos apenas seis meses depois do go live.

“Deu tudo muito certo desde o início, do desenho do cronograma ao momento em que a solução foi colocada em produção. Nossa percepção do projeto não poderia ser melhor. Alcançamos uma maturidade com apenas seis meses e agora conseguimos entregar os resultados em um tempo mais curto. Apresentamos os relatórios de fechamento de mês para os acionistas dentro dos prazos estabelecidos, nosso principal desafio. Ganhamos cerca de 13 dias nesse processo, o que significa que agora temos mais tempo para analisar melhor o negócio, mergulhar nas estratégias”, conta Paulo Toledo, controller do BioChimico.

Batizado de Avante, o projeto envolveu a implantação do SAP ERP na modalidade de software como serviço (SaaS), hospedado em data center, sem investimento inicial e com módulos pré-configurados para o segmento químico-farmacêutico. Foram cerca de sete meses do kickoff ao go live, que aconteceu em janeiro do ano passado. Todas as áreas foram envolvidas em um esforço que mobilizou a empresa para uma verdadeira transformação.

Segundo Toledo, além da agilidade no fechamento, o maior impacto foi na área de compras. “O pedido de compra já sai todo detalhado, bem amarrado, endereçado corretamente. É possível visualizar os impostos que poderão ser recuperados, por exemplo, e caracterizar o que vai entrar na empresa antes mesmo do produto chegar. Além disso, não precisamos ter a estrutura em casa para ter todas essas informações em um lugar seguro e de forma econômica”, acrescenta.

“Esse projeto é mais um motivo de orgulho para nós, pois foi um prazer imenso trabalhar com o Instituto BioChimico. O sucesso só é possível quando o comprometimento é recíproco e foi exatamente o que aconteceu. Desde o início eles mostraram determinação e certeza do caminho que queriam seguir. A nuvem foi uma escolha feita com muita consciência e a entrega não poderia ter sido diferente. Auxiliar nossos clientes em suas necessidades de negócio e vê-los atingir os resultados esperados, no tempo e custo que eles precisam, é o nosso objetivo”, diz Fábio Barnes, diretor executivo da Engine.

Sobre próximos passos, o BioChimico pretende melhorar ainda mais o sistema de informações em tempo real e expandir seus horizontes. “Estamos trabalhando no desenvolvimento de novos produtos e vamos buscar novos mercados, queremos crescer em mais regiões do país”, conclui o controller.