Tecnologias Emergentes > Wearable Computing

Badalados como gadgets esportivos, smartwatches começam a ganhar espaço nas empresas

As vendas de smartwatches para o mercado corporativo totalizaram 2,6 milhões de dispositivos em 2016, número que deve chegar a 3,6 milhões neste ano, segundo a IDC

04 de Maio de 2017 - 20h20

Ainda que timidamente, o uso de smartwatches começa a ganhar espaço no ambiente corporativo, processo que vem sendo liderado pelo Apple Watch, de acordo com a IDC. “O Apple Watch em particular, e em certa medida, outros smartwatches, têm relevância nas empresas, embora até agora o uso tenha sido bastante baixo, até porque é um mercado ainda incipiente", diz o analista da IDC, Ubrani Ernando.

O primeiro Apple Watch foi lançado em abril de 2015 com muito alarde, mas não vendeu como se esperava. Mesmo assim, de lá para cá, o mercado foi inundado por vários de wearables de pulso, incluindo dispositivos da Samsung e mais de uma dúzia outras marcas de smartwatches, além de alguns modelos menos inteligentes da Fitbit, usados principalmente para monitorar atividades de “fitness”.

É pouco provável que os smartwatches venham a substituir completamente os smartphones profissionais, mas isso não quer dizer que não possam vir a ter um papel importante nas empresas.

De acordo com a IDC, o mercado consumidor para smartwatches tem crescido mais lentamente do que o esperado, mas a expectativa é que haja uma melhora e cresça a um ritmo de 31% em média nos próximos cinco anos.

A consultoria informa que foram embarcados cerca 50 milhões de smartwatches no ano passado, juntamente com "relógios básicos" para fitness, número deve chegar a 152 milhões em 2021. Um pequeno número de smartwatches e relógios básicos que serão vendidos para o chamado mercado comercial — empresas, escolas e governo — estão incluídos nessa projeção.

Para o mercado comercial foram vendidos 2,6 milhões de dispositivos em 2016, número que deve chegar a 3,6 milhões neste ano e subir para 11,6 milhões em 2021, segundo a IDC. A consultoria tem verificado uma demanda especial para o Apple Watch no segmento comercial, que inclui usuários corporativos.

Em seu relatório divulgado em março, a IDC disse que a Apple "liderou os embarques de smartwatch para o segmento comercial" no quarto trimestre de 2016. A fabricante teve seu melhor trimestre de remessas globais do Apple Watch, quando enviou 4,6 milhões de relógios para clientes comerciais e para o mercado de consumo.

O analista da IDC observa que executivos já usam smartwatches no trabalho para acesso rápido a notificações e e-mails, ou como uma matriz de dados pessoais. Além disso, algumas empresas estão dando aos empregados smartwatches para tarefas específicas, diz Ubrani.

Exemplos de uso

Um exemplo de uso de smartwatches no local de trabalho é o da fabricante de software SAP, que disponibilizou aplicativos móveis para Apple Watch e smartwatches da Samsung por mais de um ano, mas não está claro como eles foram implantados. Em 2015, um projeto conceito ambicioso detalhava como um técnico de serviço de dispositivo médico podia verificar o status de reparos em um Apple Watch com o aplicativo SAP Work Manager. O resultado desse projeto não é conhecido.

Outro exemplo, este mais recente, é o do aplicativo Salesforce Wave Analytics, que funciona com o iPhone e o Apple Watch para fornecer a representantes e gerentes de vendas dados atualizados de suas contas de clientes. Há muitos outros exemplos de aplicativos de produtividade no trabalho que podem ser usados em um smartwatch quando conectado através de um smartphone, mas a maioria dos institutos de pesquisas não acompanha esse mercado específico de app para medir seu crescimento.

Ubrani diz que se sentiu estimulado com o anúncio da Apple de que o Apple Watch poderá ser usado para desbloquear um Mac automaticamente. "A Apple despertou o interesse de muitos usos empresariais [como o processo de desbloqueio], uma vez que a segurança é sempre uma preocupação-chave" diz.

Um outro exemplo de aplicação de smartwatches no local de trabalho é o projeto piloto da empresa de tecnologia de gestão aeroportuária Sita no Aeroporto Internacional Jean Lesage na cidade de Quebec, no Canadá, anunciado em junho de 2015. Gerentes aduaneiros puderam obter atualizações de voos e mudanças de portões de embarque e desembarque em seus Apple Watch, de forma mais rápida do que um tablet, diz a consultoria.

Apesar do ligeiro crescimento no segmento corporativo, uma pesquisa recente com 1.339 consumidores nos EUA revela que, no geral, a “excitação” inicial com Apple Watch, quando foi lançado há dois anos, se estabilizou.

O levantamento, realizado online em março pela empresa de pesquisa de mercado Fluent, descobriu que quase metade dos atuais proprietários de Apple Watch não planeja atualizar seu dispositivo para uma nova versão. Apenas 8% dos entrevistados disseram que pretendem comprar um Apple Watch no próximo ano, enquanto 11% declaram que provavelmente irão adquirir um novo dispositivo.

Quase metade dos proprietários de Apple Watch revelaram que usam seu relógio principalmente para monitoração da saúde e atividades de fitness, enquanto 18% disseram que utilizam para o recebimento de notificações e 10% usam o dispositivo para fazer compras. A pesquisa não perguntou especificamente sobre o uso do aparelho no local de trabalho.

Os resultados da pesquisa indicam que a "excitação com o Apple Watch estacionou desde que chegou ao mercado em 2015", disse um porta-voz a Fluent. "Os proprietários atuais disseram que é um ótimo produto, mas quase metade deles declarou que não planeja atualizar."

*Texto condensado do original.