Mobilidade > e-Health

Apple se une a hospitais para tornar iPhone um centro de dados médicos

Segundo reportagem da CNBC, companhia trabalha em projeto confidencial que visa transformar seus smartphones em hub de informações de saúde

19 de Junho de 2017 - 14h39

Os iPhones já têm feito bastante para manter usuários a par de sua saúde, com recursos e aplicativos que rastreiam a atividade física, o sono, nutrição e afins. Mas segundo reportagem da CNBC, a Apple está trabalhando com hospitais e companhias da área de saúde para tornar seu samrtphone em um centro de dados médicos.

A rede de TV disse que uma "equipe secreta que trabalha na unidade de saúde da Apple" está desenvolvendo funcionalidades para levar dados clínicos ao iPhone. O objetivo é permitir que o smarphone possa ser usado para agendar visitas médicas, resultados laboratoriais, fornecer prescrições médicas e até mesmo listas sobre alergias, de maniera que o usuário possa acessar os dados quando precisar. 

O app Health no iPhone já mostra um cartão de identidade médica e se relaciona com outros dispositivos de terceiros como monitores de pressão sanguínea e rastreadores de sono, mas exige que o usuário interaja diretamente com ele, fornecendo dados, por exemplo. Sob o suposto novo plano da Apple, pacientes conseguiriam acessar facilmente seus dados no iPhone depois de visitar um hospital ou clínica e compartilhar essa informação quando visitar um novo médico.   

De acordo com a reportagem, a Apple também contratou desenvolvedores associados com o chamado Fast Healthcare Interoperability Resources, um protocolo popular nos Estados Unidos para troca de dados eletrônicos de saúde. A CNBC também reporta que o vice-presidente de software e médico Bud Tribble também está trabalhando próximo ao projeto da gigante de Cupertino. 

A CNBC não menciona, entretanto, o Apple Watch, mas é provável que o relógio inteligente da Apple tenha um grande papel na nova iniciativa. Anteriormente foi reportado que a companhia trabalha para fazer do relógio um monitor de glicose e o watchOS 4 traz suporte do Bluetooth para dispositivos de saúde e ginástica que estejam próximos. 

O impacto na sua saúde 

Tais esforços têm potencial para beneficiar pacientes e profissionais da medicina, isso se a Apple conseguir se infiltrar no entrincheirado mundo da saúde altamente regulamentado. Ter acesso a registros completos e histórico médico seria um longo caminho para desmistificar nossos registros e levar a transparência tão necessária ao processo. E do lado dos médicos, isso os ajudaria a obter uma imagem imediata do nosso histórico de saúde para oferecer cuidados direcionados.

Mas sobre o que estamos mais entusiasmados? Isso pode significar que nunca mais precisaremos preencher um longo conjunto de formulários quando visitarmos um novo médico.