Empresa teve aumento exponencial nas vendas de smartwatches e deixou Fitbit e Xiaomi para trás

01 de Março de 2018 - 18h44

O mercado global de wearables manteve trajetória crescente no quartro trimestre de 2017, com 7,7% de crescimento em relação ao ano anterior, segundo números da IDC. No consolidado do ano, as vendas de dispositivos vestíveis inteligentes atingiram 115,4 milhões de unidades, aumento de 10,3% em relação a 2016.

O grande destaque é a Apple, que, graças a um aumento exponencial nos embarques de smartwatches, com o Apple Watch, passou concorrentes como Fitbit e Xiaomi para assumir a liderança do mercado, tanto no trimestre quanto no ano.

O avanço do mercado como um todo, no entanto, é explicado também por um declínio acentuado de 27,3% em 2016, afirma Ramon T. Llamos, diretor de pesquisas da IDC. "A desaceleração não é devido à falta de interesse, longe disso. Em vez disso, vimos inúmeros fornecedores confiando em modelos mais antigos e saindo do mercado. Ao mesmo tempo, os demais fabricantes - incluindo startups - não apenas os substituíram, mas trouxeram dispositivos, recursos e serviços que ajudaram a tornar os wearables mais integrantes nas vidas das pessoas. Para o futuro, a próxima geração de wearables fará com que os que vimos tão recentemente como 2016 pareça estranho."

O especialista destaca que a Apple de fato está um passo à frente. "O interesse em smartwatches continua a crescer e a Apple está bem posicionada para capturar a demanda", acrescentou Llamas. "Os gostos do usuário tornaram-se mais sofisticados nos últimos trimestres e a Apple invadiu a demanda por conectividade e transmissão multimídia."

Em 2017, a Apple embarcou 17,7 milhões de dispositivos, o que representa 15,3% do market share. Em 2016, o número foi de 11,3 milhões, que representava 10,8% do mercado. A maior queda foi da Fitbit, com perda de 31,6% de market share.

Confira a tabela com o panorama do mercado e o comparativo entre 2016 e 2017: