Aplicações > Segurança de Aplicação

Após mudanças no Windows 10, Kaspersky retira ação contra Microsoft

Empresa de segurança acusava a gigante do software de usar seu domínio para promover o Windows Defender em detrimento de outros apps antivírus na plataforma

10 de Agosto de 2017 - 14h07

A Kaspersky anunciou nesta quinta-feira, 10, a retirada de uma ação antitruste contra a Microsoft na Europa, depois que a empresa concordou em realizar mudanças para a aguardada atualização Fall Creators Update, do Windows 10.  Na ação judicial, movida em junho, a Kaspersky acusou a Microsoft de desabilitar o seu software antivírus durante as atualizações do Windows para promover o seu próprio programa de segurança, o Windows Defender.

Após admitir a prática no fim de junho, a Microsoft disse agora que vai trabalhar de forma mais próxima com as empresas de segurança “para ajudá-las com reviews de compatibilidade antes de cada atualização de recurso ser disponibilizada para os usuários”. 

A fabricante de software também disse que dará mais tempo para os fabricantes testarem mudanças antes dos updates do Windows 10, além de permitir que esses apps antivírus “usem seus próprios alertas e notificações para renovar produtos antivírus antes e depois de expirarem”.

Outra mudança importante revelada pela Microsoft é a mudança na maneira como o Windows 10 informa aos usuários sobre a expiração de um aplicativo de antivírus. “Em vez de fornecer uma notificação inicial simples que os usuários podiam ignorar, a nova notificação vai persistir na tela até que o usuário escolhe renovar a solução existente ou decida usar o Windows Defender ou outra solução de segurança”, afirmou a empresa. 

Em um comunicado, a Kaspersky se disse satisfeita com as mudanças propostas pela Microsoft e anunciou que vai retirar a ação antitruste junto à Comissão Europeia e ao Escritório Federal de Cartel, da Alemanha.