Você está vendo o preview de um conteúdo premium Torne-se um Insider para ler o artigo inteiro.
Segurança > Cibercrime

Análise preditiva pode barrar ransomware antes que cause estrago

Enquanto a maioria das defesas em uma empresa é construída em torno de modelos baseados em assinaturas de malware "conhecidos", a análise preditiva estabelece um padrão para detectar alterações nos dados

11 de Abril de 2017 - 16h22

Enquanto a maioria das defesas em uma empresa é construída em torno de modelos baseados em assinaturas de malware "conhecidos", a análise preditiva estabelece um padrão para detectar alterações nos dados

O mês de fevereiro marcou o aniversário de dois anos do ataque memorável de ransomware ao Condado de Livingston, um dos 88 condados do estado americano de Michigan. Município mais próspero do estado, Livingston tinha três anos de informações tributárias, que ficaram à mercê dos cibercriminosos.

O CIO do condado, Rich C. Malewicz, disse que a administração local de Livingston — equivalente às prefeituras no Brasil — têm sido alvo constante de ataques de ransomware, mas o que amenizou a situação foi o fato de ter os backups prontos. Ele conta que o ataque de ransomware foi resultado de um malvertising (tipo de anúncio publiciário online que geralmente é usado ​​para espalhar malware) sobre uma campanha de abastecimento de água que infectou usuários que visitaram um site de notícias locais.