Infraestrutura > Hardware

AMD amplia road map de computação de alto desempenho com novos chips

Fabricante anunciou no CES 2018 os primeiros processadores Ryzen ™ desktop com o Radeon ™ Vega Graphics e antecipou detalhes do futuro

08 de Janeiro de 2018 - 14h41

A AMD causou neste domingo, 7/1, na CES 2018, em Las Vegas, ao revelar seus planos para uma segunda geração da sua linha Threadripper, o Zen 2 e Zen 3, e a próxima geração de GPUs de 7 nanômetros Radeon "Vega" especificamente feita para aplicações de machine learning. A fabricante americana revelou também um novo chip Vega mobile. E essa nem é a lista completa de novos produtos da empresa, que inclui ainda duas novas APUs Ryzen com placas gráficas Vega integradas.

A AMD apostando sua reputação no mercado de chips rápidos. “Para nós, é tudo sobre computação de alto desempenho. A computação de alto desempenho é absolutamente a parte mais excitante do mercado atual de semicondutores”, afirmou a CEO da companhia, Lisa Su, durante o evento.

"Completamos com êxito as metas ambiciosas que estabelecemos em 2017, om a introdução de 10 famílias de produtos diferentes", disse Lisa Su. "Tornamos nosso portfólio de produtos ainda mais forte com novas CPUs e GPUs que trazem mais recursos e mais desempenho para um amplo conjunto de mercados".

APUs Ryzen com placas Vega

Os dois novos chips de baixo custo da AMD são uma ótima notícia para todos os usuários obcecados em poder construir o mais poderoso e acessível PC gamer. O Ryzen 5 2400G terá quatro núcleos com SMT e rodará em um clock base de 3.6GHz com um boost de 3.9GHz. Na parte gráfica, o chip terá 11 Compute Units baseadas no Vega. O preço sugerido será de 169 dólares nos EUA.

O Ryzen 5 2400G oferecerá uma performance em games comparável a um Intel Core i5-8400 e uma GeForce GT 1030 em muitos jogos. Por 169 dólares, a nova aposta da AMD sairá muito mais em conta do que os 288 dólares do combo da Intel e da Nvidia.

Já o Ryzen 3 2200G terá quatro núcleos sem SMT e rodará em um clock base de 3.5GHz com um máximo de 3.7GHz (boost). Em termos gráficos, terá 8 Compute Units. O valor sugerido será ainda mais baixo: 99 dólares. Segundo a AMD, os dois novos Ryzen chegam ao mercado em fevereiro. 

Zen+ a caminho

A AMD também revelou que uma nova versão da sua CPU já conhecida Ryzen, chamada de Zen+, chega em abril, usando um processo de 12 nanômetros em vez do atual de 14 nanômetros.

A empresa não explicou a nova nomenclatura, mas afirmou que as CPUs terão um clock mais alto do que os atuais chips baseados na arquitetura Zen. Os novos chips terão o mais recente controle de frequência Precision Boost 2, e um booster de velocidade de clock melhorado XFR2.

Os processadores também contarão com melhorias de cache, velocidade de memória e latência. No geral, os representantes da AMD disseram, não oficialmente, para esperarmos uma melhoria de pelo menos 10% em termos de performance com os novos chips.

A AMD ainda revelou que espera que a Zen 2 chegue em 2019 usando um processo de 7 nanômetros. No ano seguinte, deveremos ter a Zen 3 usando um processo de 7nm+.

Os detalhes dos chips com as arquiteturas em questão ainda estão longe de serem revelados, mas a fabricante disse para esperarmos ganhos de desempenho bem acima dos 7% a 8% vistos em atualizações típicas no mercado.

A AMD também aproveitou o evento para revelar uma sequência da sua poderosa linh Threadripper. Os detalhes também são esparsos, mas a companhia coloca o lançamento para o segundo semestre, o que sugere que os núcleos Zen+ podem ser a base de qualquer atualização desses chips.

E os usuários das placas gráficas da AMD não ficaram de lado durante o evento, já que a empresa afirmou que podemos esperar o primeiro chip Vega de 7 nanômetros neste ano. No entanto, os gamers terão de esperar um pouco mais, já que os primeiros modelos serão voltados para machine learning.