Internet > APPs

Ações da Snap ficam abaixo do preço do IPO pela primeira vez

Queda indica uma diminuição da confiança dos investidores na capacidade da empresa de cumprir as promessas de maior uso do Snapchat e aumento nas vendas de publicidade online

11 de Julho de 2017 - 21h14

As ações da Snap, dona do aplicativo de fotos e vídeos Snapchat,  ficaram pela primeira vez nesta segunda-feira, 10, abaixo do preço inicial da oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), em março passado. Os papéis da empresa chegaram a ser negociados a US$ 16,95 e fecharam valendo US$ 16,99, preço 1,1% abaixo dos US$ 17 na abertura do IPO.

Nesta terça-feira, 11, as ações da Snap recuaram ainda mais e encerraram o pregão na Bolsa de Nova York (NYSE) cotadas a US$ 15,47, queda de 8,95% em relação ao preço de US$ 16,99 na abertura.

Ficar abaixo do preço do IPO pela primeira vez é comum. Aconteceu com o Facebook, com o Twitter, Tesla e Fitbit. E por várias causas, com metade das empresas de capital aberto, que viram suas ações ficarem abaixo do preço do IPO por longos períodos.

Mas continua a ser um sinal preocupante e indica uma diminuição da confiança dos investidores na capacidade da empresa de cumprir as promessas de maior uso do Snapchat e, consequentemente, de aumento das vendas de publicidade online nos próximos anos.

O Snapchat diz ter 166 milhões de usuários diários do aplicativo de mensagens curtas, fotos e vídeos que desaparecem automaticamente 10 segundos após serem visualizados. Mas os investidores temem que a concorrência do Instragram, de propriedade do Facebook, esteja corroendo a popularidade do Snapchat.

De todo modo, as ações da Snap, empresa de tecnologia com seis anos de idade e que não gera lucro, têm registrado um volume de vendas de 32 vezes na comparação com uma média de cerca de quatro vezes dos demais papéis do setor de tecnologia da Standard & Poor’s 500, de acordo com dados da consultoria FactSet.

Analistas financeiros mais otimistas sobre as perspectivas da Snap dizem que agora é o momento perfeito para comprar ações da empresa, porque acreditam que elas devem voltar ao patamar de US$ 17 ou mais. *Com agências de notícias internacionais.