Você está vendo o preview de um conteúdo premium Torne-se um Insider para ler o artigo inteiro.
Cloud Computing > Segurança de Cloud

7 práticas recomendadas para proteger seu serviço em nuvem

Como aproveitar os benefícios da nuvem, usando seus pontos fortes para superar questões que tradicionalmente são rotuladas como vulnerabilidades

23 de Abril de 2017 - 20h48

Como aproveitar os benefícios da nuvem, usando seus pontos fortes para superar questões que tradicionalmente são rotuladas como vulnerabilidades

À medida que as empresas migram suas aplicações e dados para a nuvem, os executivos de TI enfrentam cada vez mais o desafio de equilibrar os benefícios gerados pelos ganhos de produtividade com os riscos significativos em relação à conformidade e à segurança.

Segurança na nuvem, convém frisar, não é o mesmo que a segurança no data center corporativo. Regras e metodologias diferentes devem ser aplicadas para assegurar uma infraestrutura sobre a qual não se tem controle físico real.

Ao optar pelos serviços em nuvem, as empresas precisam avaliar vários fatores-chave, incluindo:

• Capacidade de criptografia de dados, tanto para dados em trânsito como para dados em repouso, que não estão sendo transmitidos;

• Garantia de proteção, pois a segurança de dados, especialmente em um ambiente de nuvem multi-tenant (múltiplos clientes, que compartilhem os mesmos recursos, como um aplicativo ou ERP), em que o acesso a seus dados e como ele é isolado da vulnerabilidade de outros sistemas, não é clara;

• Ter controles de privacidade sobre quem pode acessar seus dados, quanto tempo ele pode ser usado, armazenado, etc.

• Assegurar que o provedor de serviços tenha controles de manutenção e gerenciamento e outras medidas para garantir que o sistema esteja sempre protegido e atualizado com os mais recentes patches de segurança de software, servidor, sistema operacional, etc.