Tecnologias Emergentes > Blockchain

6 usos de blockchain para vantagens competitivas

Apesar do potencial do blockchain, apenas 1% dos CIOs estão adotando a tecnologia dentro de suas organizações

04 de Julho de 2018 - 10h35

Apesar de todo o hype, o blockchain ainda não é mainstream. Mas isso pode mudar este ano, já que a reputação da tecnologia para transações confiáveis ​​continua crescendo entre os líderes de TI.

Blockchain é uma tecnologia que mantém um banco de dados distribuído (ou “digital ledger” ou livro razão), para gerar um registro de transações que todos conectados na rede podem ver . Cada transação entre os participantes de uma rede é inserida em um registro conhecido como um bloco que é assinado digitalmente para garantir sua autenticidade e criar consenso sobre o estado das transações a qualquer segundo. 

Uma vez que um bloco de dados é registrado no livro de registro blockchain, é extremamente difícil de alterar ou remover. Quando alguém deseja adicionar a ele, os participantes da rede - todos com cópias do blockchain existente - executam algoritmos para avaliar e verificar a transação proposta. Se a maioria dos nós concordar que a transação parece válida - isto é, a identificação de informações corresponde ao histórico do blockchain - então a nova transação será aprovada e um novo bloco será adicionado à cadeia. 

No momento em que as empresas enfrentam novos desafios em gerenciamento e segurança de dados, o crescente entusiasmo dos CIOs com o blockchain vem justamente da capacidade da tecnologia de permitir que as empresas façam e verifiquem transações em uma rede, instantaneamente, sem uma autoridade central.  Algumas empresas vêem uma oportunidade de usar o blockchain para rastrear o movimento de ativos em todas as suas cadeias de suprimentos ou para iniciar e executar contratos eletronicamente.

Mas, apesar do potencial do blockchain, apenas 1% dos CIOs estão adotando a tecnologia dentro de suas organizações, e apenas 8% planejando provas de conceito de curto prazo, de acordo com os resultados do estudo CIO Survey 2018, do Gartner . Além disso, 77% dos CIOs entrevistados disseram que sua organização não tem interesse na tecnologia e/ou nenhuma ação planejada para investigá-la ou desenvolvê-la. 

"O motivo da lentidão na adoção da tecnologia é o clássico cenário  risco-recompensa", disse Peter Nichol, diretor da Oroca Innovations, em um painel no MIT Sloan CIO Symposium no mês passado . "Como CIO, você tem que vender isso para a sua diretoria, você tem que vender isso para a sua equipe e para os seus colegas. E é um caso de negócios difícil porque você não precisa apenas explicar o que está tentando fazer, mas explicar a tecnologia."

Mesmo assim, o Gartner diz que os CIOs seriam sábios em acompanhar o movimento blockchain e começar a testar a tecnologia para ver o que é possível e ponderar possíveis casos de negócios.

Vejamos como algumas organizações estão procurando alavancar o blockchain para os negócios.

1 - Para garantir os direitos humanos
A Organização das Nações Unidas está explorando duas importantes rotas de blockchain: verificação de identidade e confiança na cadeia de suprimentos, disse Atefeh Riazi, CIO da ONU, durante o painel do MIT Sloan CIO Symposium.

Riazi disse que cerca de 1,2 bilhão de mulheres em todo o mundo não têm uma identidade oficial, incluindo um nome ou data de nascimento, o que as torna alvos fáceis para o tráfico de seres humanos. Em alguns países, crianças menores de idade estão traabalhando, quando deveriam estar estudando. Além de defender as leis de trabalho infantil, o blockchain também pode conter incidentes em que menores acusados ​​de um crime são julgados como adultos, porque eles não podem provar sua idade.

Usando um aplicativo blockchain para verificar a identidade humana, a ONU poderia tornar mais fácil para as autoridades identificar pessoas, impedindo a exploração e crimes contra mulheres e crianças.

Riazi também vem estudando como a ONU pode usar o blockchain para provar a proveniência de remédios que envia para todo o mundo. Isso ajudará a provar que as pessoas estão recebendo os medicamentos corretos para suas doenças. "A cadeia de suprimentos é uma das áreas-chave que analisamos quando se trata de aplicações do blockchain", disse Riazi.

Em última análise, Riazi vê blockchain como uma das tecnologias mais disruptivas que os CIOs podem explorar. "Essa ruptura é real, porque precisamos do Uber quando podemos fazer pagamentos peer-to-peer? Por que precisamos de um banco quando podemos transferir dinheiro diretamente? É o futuro e está aqui, e algumas empresas e indústrias podem não gostar, mas espero que se reinventem", diz o CIO.

2 - Contratos inteligentes para serviços financeiros
Na Boston Private, uma empresa de gestão de patrimônio para clientes de alta renda, o CDO e CIO Prasanna Gopalakrishnan está testando blockchain para contratos inteligentes que tornem as transações financeiras mais eficientes - e confiáveis.

Atualmente, as trocas de moeda tratadas pelos credores e corretoras são rigorosas e intensivas em papel. Um aplicativo Blockchain que permite contratos inteligentes pode ajudar a aliviar alguns desses problemas associados às aprovações de linhas de crédito, acelerando o processamento de contratos, disse Gopalakrishnan durante o MIT Sloan CIO Symposium.

Embora tal cenário faça sentido para os serviços financeiros, Gopalakrishnan aconselhou os CIOs a oferecerem à empresa um caso de uso prático que agregue valor antes de colocá-lo diante de seus colegas de diretoria executiva.

"É preciso obter o apoio dos parceiros de negócios e articular e entender claramente os problemas de negócios que você está tentando resolver, o que ligará os pontos aos resultados do negócio e ao valor que ele pretende trazer", disse Gopalakrishnan. "Pense nos sapatos de todo mundo no ecossistema e certifique-se de que haja valor".

3 - Um blockchain para rastrear grãos
Dos muitos casos de uso de blockchain, o da OROCA revela como as empresas australianas CBH Group e AgriDigital estão usando blockchain para rastreabilidade da cadeia de fornecimento na produção de grãos.

No teste, um agricultor armazenou uma ficha de entrega de aveia para representar a propriedade sobre o grão. O agricultor vendeu o título digital, incluindo informações sobre o volume de grãos e outros atributos, uma semana depois via blockchain. O piloto também rastreou a proveniência da aveia orgânica da fazenda através da cadeia de fornecimento.

"O que é legal sobre isso é que eles tiveram um caso de uso específico que permitiu que eles construíssem recursos para provar que funciona", disse Peter Nichol, diretor da OROCA.

Para esse fim, Nichol enfatizou a importância de definir um caso de negócios específico para blockchain. O executivo recomenda que os CIOs criem uma ontologia de como blockchain pode ser usado, por exemplo, no registro de ativos e no rastreamento de sua origem.

4 - Blockchain para logística
A United Parcel Service tem uma equipe dedicada a explorar o impacto do blockchain na cadeia de custódia, afirma Linda Weakland, diretora de arquitetura e inovação empresarial da UPS. A Weakland vê um grande potencial para o Blockchain na automação dos inúmeros processos manuais que compõem a corretagem alfandegária. Tal sistema poderia ajudar a UPS a "modernizar toda a prática e liberar bens muito mais rapidamente". O Blockchain também melhoraria a precisão das transações e reduziria os custos de ativos físicos, como os containers.

Mas, para desbloquear o potencial do blockchain, ele deve ser adotado em toda a cadeia de suprimentos. Para esse fim, a UPS  juntou-se ao Blockchain in Trucking Alliance (BiTA), que está desenvolvendo padrões de blockchain para o setor de frete. Weakland diz que tais padrões podem ajudar a UPS e seus parceiros a compartilhar dados através de Blockchains, o que atualmente é difícil de fazer. "Com o BiTA, poderemos obter mais padrões para tornar o Blockchain mais útil do que é hoje", diz Weakland.

A UPS vê o blockchain como parte integrante da evolução da Smart Logistics Network, que também inclui outras tecnologias emergentes como Internet das Coisas, robótica, inteligência artificial e machine learning. O CIO da UPS, Juan Perez, a quem a Weakland relata, está aplicando essas tecnologias ao restante dos negócios da UPS como parte do Grupo de Tecnologia Avançada criado logo após sua promoção em 2016. "Perez nos desafia a estar no limite e realmente levar uma olhada na tecnologia que fará a diferença ", diz Weakland.

5 - Segurança alimentar
A Driscoll's, junto com mais de uma dúzia de produtores de alimentos, está  trabalhando com a IBM para usar o blockchain  para ajudar a provar a origem de alimentos contaminados, diz Tom Cullen, CIO da empresa. Como o blockchain pode registrar cada ponto de dados em uma cadeia de suprimentos, ele fornece um paraíso virtual de informações científicas sobre os produtos que estão rastreando. "O que nos interessa é que a origem da fruta, uma vez que qualquer certificação começa na cadeia de abastecimento", diz Cullen.

Driscoll atualmente usa sensores de GPS habilitados para Bluetooth para monitorar a temperatura da fruta em refrigeradores durante o transporte. Assim, por exemplo, se um motorista de caminhão no México inadvertidamente cozinhar a fruta porque a temperatura em seu caminhão subiu demais, a Driscoll saberá disso. 

Mas essa aplicação não ajudará Driscoll a acompanhar um lote específico de plantações no caso de um surto de doenças transmitidas por alimentos. Aqui o blockchain poderia ajudar. Fazendo o registro de códigos de barras a partir de paletes e contêineres clamshell, um blockchain poderia ser usado para rastrear frutas para uma colheita específica, diz Cullen, permitindo à  Driscoll identificar exatamente onde a fruta foi produzida.

"O blockchain é imutável e não pode ser alterado, então, conforme você acompanha a cadeia de fornecimento, pode confiar nos dados", diz Cullen. Ele acrescenta que blockchain, aliado com machine learning e analytics, para ajudar a melhorar a marcação genética, são aspectos fundamentais das iniciativas digitais da Driscoll em 2018.

6. Imóveis
A introdução de contratos inteligentes em blockchain deu oportunidade para ativos de alto valor, como imóveis, serem comercializados digitalmente. Aplicações e serviços imobiliários geralmente limitam-se a conectar compradores e vendedores. Grande parte do processo ainda depende de transações face-a-face e de terceiros, como corretores, bancos e advogados.

Os contratos inteligentes em blockchain poderiam reverter essa maneira de fazer as coisas, pois o processo agora pode acontecer dentro da plataforma digital, incluindo listagem, pagamentos e documentação. Startups de blockchain têm procurado redefinir a experiência de negociação imobiliária. Por meio de tonkenização, esses ativos podem ser negociados como ações ao longo de uma bolsa, essencialmente diminuindo as barreiras para os investidores poderem entrar no mercado imobiliário por meio da propriedade fracionária. Isso também aumenta a liquidez dos ativos imobiliários.

Até os governos estão olhando para a tecnologia. A Suécia, por exemplo, está atualmente testando blockchain para seu registro de terras .