Cloud Computing

5 passos para uso de aplicação segura na nuvem

Empresas não têm consciência do número total de aplicações usadas ​​por cada equipe

20 de Março de 2018 - 08h51

O ambiente profissional moderno é repleto de aplicações em cloud voltadas ao ambiente corporativo, pois cada vez mais os profissionais precisam estar mais produtivos - em qualquer lugar que estejam. Um relatório sobre cloud desenvolvido pela empresa ontrabalho reveloude  recentemente que, em média, cada organização utiliza mais de mil aplicações em nuvem. No entanto, as empresas não têm consciência do número total de aplicações usadas ​​por cada equipe.

As aplicações em cloud transformaram-se numa maneira econômica para aumentar a produtividade, mas seu uso crescente, especialmente por pessoas não autorizadas, pode colocar em perigo os dados das companhias. Como as empresas podem aproveitar os dois mundos? O que eles devem fazer para se beneficiar da simplicidade e produtividade das aplicações em nuvem enquanto mantêm seus dados seguros?

Portanto, vou comentar aqui cinco passos práticos, indicados principalmente às empresas que procuram utilizar aplicações de armazenamento em nuvem.

Primeiro passo: é essencial proteger os dados corporativos confidenciais armazenados na nuvem. Entre as soluções mais escolhidas pelas organizações para unificar seus dados são Google Drive, Egnyte, Dropbox, Box ou Microsoft OneDrive.

Segundo passo: estabeleça quais dados importantes são armazenados na nuvem. As empresas que não fazem uso de nenhuma solução de armazenamento na nuvem devem optar por alguma aplicação, levando em consideração as opiniões dos funcionários e as necessidades da organização. Também é aconselhável capacitar os colaboradores na solução escolhida para garantir a aceitação total e o uso contínuo da ferramenta.

Terceiro passo: o monitoramento de atividades é importante porque é impossível detectar uma ação fora do normal. As organizações devem supervisionar as atividades dos funcionários, o que permitirá desenvolver uma visão de possíveis riscos. É preciso levar em consideração que é difícil saber se a pessoa que acessa a aplicação é de fato um funcionário e não um hacker.

Quarto passo: a equipe ainda deve controlar as soluções corporativas de armazenamento na nuvem. Existem dezenas de aplicações cloud que ajudam as empresas a trabalhar com maior fluidez, no entanto, algumas provavelmente precisam de segurança em nível empresarial. Se as aplicações não forem fornecidas pelo departamento de TI, gerenciá-las ou aplicar políticas para controlar seu uso pode se tornar uma tarefa árdua.

Quinto passo: a maioria dos funcionários não mostra interesse em segurança. Por isso, as empresas devem optar por permitir que a equipe trabalhe livremente, enquanto as decisões sobre segurança são lideradas pelo departamento de TI. Ou seja, assim que a empresa selecione a aplicação ideal para suas necessidades, a equipe de TI deve estabelecer e aplicar políticas específicas para garantir a utilização de forma segura. Um exemplo é bloquear o carregamento de arquivos que contenham certos tipos de dados, como nomes e endereços de clientes. Isto permite aos funcionários utilizarem seus próprios estilos de trabalho sem colocar em risco as informações da empresa.

O Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados, com aplicação restrita aos atuais países da União Europeia, é um lembrete oportuno para que as empresas controlem seus dados. Garantir que o uso de aplicações de armazenamento na nuvem esteja habilitado de maneira segura é uma boa forma de começar e pode evitar multas consideráveis no futuro.

*Daniel Junqueira é diretor técnico para América Latina da Netskope