| Saiba mais  Patrocinado por

5 fatos impressionantes que marcaram a Olimpíada no Brasil

Por dentro do trabalho realizado pela Embratel durante os 29 dias dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016

01 de Novembro de 2016 - 15h55

"A TI passou imperceptível: não tivemos praticamente nenhum incidente de tecnologia. Toda operação funcionou bem. Uma entrega conforme o esperado, com um trabalho certo e preciso”.

Essa foi a conclusão de Elly Resende, CIO da Rio 2016, acerca dos jogos mais tecnológicos e conectados de todos os tempos. Mas nem tudo foram flores. Assim como os atletas, os fornecedores tiveram que enfrentar uma jornada exaustiva de preparação para entregar um trabalho à altura da maior celebração esportiva do planeta.

No caso da Embratel, fornecedora e patrocinadora oficial de telecomunicações do evento, foram mais de cinco anos de esforço coletivo: mais de 3 mil colaboradores se dedicaram a entregar toda a tecnologia necessária, que viabilizou a transmissão dos Jogos para quase 5 bilhões de pessoas ao redor do mundo - a partir do Centro Internacional de transmissão (IBC), de onde são geradas as imagens oficiais das competições.

Confira a seguir as realizações mais impressionantes da provedora:

370 quilômetros de fibra ótica, com tripla redundância

3 mil campos do Maracanã ou 7 mil piscinas olímpicas enfileirados. Proporcionalmente, esse foi o tamanho do Backbone Olímpico Embratel, a base de telecom do evento, responsável por garantir a alta disponibilidade na transmissão de dados das competições - com velocidade de 40 Gigabits por segundo - conectando os quatro centros de competição (Copacabana, Maracanã, Deodoro e Barra da Tijuca) e totalizando cerca de 100 instalações espalhadas pela Cidade Maravilhosa.

Tráfego de dados duplicado em relação à Olimpíada anterior

Nos jogos de Londres, em 2012, foi registrado um volume de dados na casa de 1,1 petabyte. Por outro lado, o consumo nos Jogos Rio 2016 foi de 3,25 PB - o que equivale a 5 bilhões de fotos ou 580 milhões de músicas. Já o site oficial da Rio 2016, hospedado nos data centers da Embratel, registrou 33% a mais de acessos (600 milhões) do que o site dos Jogos de Londres (450 milhões).

A Copa do Mundo de 2014 e o último Super Bowl também ficaram para trás

No evento futebolístico também realizado no Brasil, o consumo atingiu apenas 0,7 Terabyte. Pode-se dizer que espectador presente no Maracanã durante a abertura da Olimpíada enviou, ou recebeu, aproximadamente 44 fotos, contra 18 de quem assistiu à final da Copa do Mundo.

Já na final da 50ª edição da principal liga de futebol americano dos EUA, a NFL, foi registrado um número duas vezes menor de dispositivos móveis conectados simultaneamente do que nos Jogos.

Diversas tecnologias combinadas, cobrindo de ponta a ponta

Com segurança, redundância e robustez para suportar todas as demandas do evento, a infraestrutura de telecomunicações da Embratel montada para sustentar o tráfego de informações nas 32 arenas dos Jogos, distribuídas pelo Rio de Janeiro e em outros locais do Brasil e que envolveu mais de 3 mil funcionários, contou com: 

- 2 data centers de alta disponibilidade, que atesta seu alto padrão de infraestrutura e capacidade;
- Mais de 9 bilhões de acessos ao Portal Rio 2016, o site de vendas dos ingressos e o Portal dos Voluntários;
- 8 mil pontos de acesso a Wi-Fi dedicados exclusivamente aos Jogos, distribuídos pela cidade, a Vila Olímpica e os locais de competição;
- 60 mil pontos de acesso à Internet;
- 15 mil linhas fixas e 33 mil linhas móveis, 3G e 4G, com 97 estações de transmissão;
- 15 mil pontos de TV a cabo;

14 medalhas conquistadas pelo #TimeClaroEmbratel

Entre os mais de 15 mil atletas, de 206 países, os 21 participantes patrocinados pelo #TimeClaroEmbratel conquistaram quatro medalhas de ouro, quatro de prata e uma de bronze - contemplando modalidades familiares aos brasileiros, como vôlei de praia, judô e vela.

Clique aqui e conheça a fundo o que a fornecedora e provedora oficial de telecomunicações da primeira Olimpíada da América do Sul pode fazer pela sua empresa.