Gestão > Analytics, BI

4 dicas para obter sucesso com analytics e BI self-service

Segundo o Gartner, usuários de BI self-service produzirão mais análises do que cientistas de dados até 2019

26 de Janeiro de 2018 - 10h36

Organizações estão abraçando analytics e BI self-service para levar capacidades analíticas para todas as áreas de negócios. Assim, o Gartner prevê que com a tendência os usuários produzam mais análises do que os cientistas de dados até 2019.

Recente pesquisa do Gartner com mais de 3 mil CIOs mostra que os líderes da TI classificam a análise e o BI como a tecnologia diferenciadora para suas organizações. Ela atrai investimentos e é considerada a área de tecnologia mais estratégica por CIOs de alto desempenho.

Como resultado, os líderes de dados e análise estão implementando cada vez mais recursos de autoatendimento para criar uma cultura baseada em dados na organização. Isso significa que os usuários de negócios podem aprender mais facilmente a usar a ferramenta e gerar mais resultados.

Para obter sucesso na iniciativa, o Gartner lista quatro recomendações:

1. Alinhe iniciativas self-service com os objetivos de negócios

“É importante confirmar o valor de uma abordagem de autoatendimento para análise e BI, comunicando seu impacto e alinhando os sucessos diretamente aos bons resultados da organização”, aconselha Carlie. “Isso reforça a confiança na abordagem e justifica o apoio contínuo. Também incentiva mais usuários empresariais a se envolverem e aplicar as melhores práticas às suas áreas”.

2. Envolva os usuários na concepção, no desenvolvimento e no suporte da estratégia de autoatendimento

“Criar e executar uma iniciativa de autoatendimento bem-sucedida significa preservar a confiança entre a equipe de TI e os usuários de negócios”, aponta ela. “Não há nenhuma solução técnica para criar confiança, mas um processo formal de colaboração desde o início de uma iniciativa de autoatendimento contribuirá para ajudar os usuários a entender o que cada um precisa de outros para tornar o autoatendimento um sucesso.”

3. Assuma uma abordagem flexível e implemente governança de dados

“O sucesso de uma iniciativa de autoatendimento dependerá de saber se o modelo de governança de dados e análise é suficientemente flexível para permitir e apoiar as explorações analíticas gratuitas de usuários de autoatendimento”, disse Idoine.

Estruturas rígidas e inflexíveis irão impedir os usuários de avançar. Por outro lado, a falta de governança adequada irá sobrecarregar os usuários com dados irrelevantes ou criará sérios riscos de violação de regulamentação. “Os líderes de TI devem encontrar o equilíbrio certo de governança para tornar o autoatendimento bem-sucedido e escalável”, acrescentou.

4. Desenvolva um plano de bordo

“Os líderes de dados e analíticos devem apoiar os usuários entusiastas com as orientações corretas sobre como se atualizar rapidamente, bem como sobre como aplicar suas novas ferramentas aos seus problemas comerciais específicos”, aponta Idoine. “Um plano formal de bordo ajudará a automatizar e padronizar esse processo, tornando-o muito mais escalável à medida que o uso de serviços self-service se espalha por toda a organização.”