Negócios > Desenvolvimento/Programação, Gestão de Equipe, Gestão de Projetos, Programação

16% das companhias brasileiras tiveram êxito na implementação de DevOps

Estudo da CA Technologies mostra que Brasil é quarta potência em aplicação do conceito, atrás apenas de Estados Unidos, Índia e Suíça

26 de Janeiro de 2016 - 12h44

O Brasil, aparentemente, tem feito um bom trabalho em DevOps. Um estudo patrocinado pela CA indica o País como uma das referências globais em adoção de ferramentas maduras de tecnologia orientada ao conceito.

De acordo com o relatório, 16% das empresas brasileiras obtiveram êxito na total implantação de soluções enquadradas no modelo, o que coloca o mercado local atrás apenas de Estados Unidos e Índia (25%) e Suíça (23%).

“O resultado é especialmente importante por inserir o Brasil à frente de nações como Canadá, Espanha, França, Itália e Reino Unido”, celebra a provedora de tecnologia, sobre as constatações do relatório “Montando o Quebra-Cabeça de DevOps”.

Os números relativos a empresas que já possuem soluções em andamento também sugerem um futuro promissor. Atualmente, 60% das companhias que atuam no País se consideram adeptas iniciantes ou parciais dessas ferramentas, enquanto 24% dos entrevistados pontuaram que trabalham em empresas não-adeptas deste tipo de tecnologia.

“A pesquisa aponta ainda que é cada vez maior o número de empresas e corporações que identificam DevOps como fator crucial de contribuição para ganhos de competitividade, fidelização de clientes e resultados – diferenciais fantásticos em um ambiente de negócios em constante e cada vez mais rápida mudança”, afirma Rodrigo Bernardinelli, diretor da CA Technologies para América Latina.

O levantamento, que ouviu 1,4 mil profissionais de TI com nível sênior e executivos de negócios de todo o mundo, aponta que as empresas de Telecom ainda são uma referência na adoção do conceito. De acordo com a pesquisa, em todo o planeta, uma em cada quatro empresas do setor são adeptas avançadas.

O varejo tem ganhado cada vez mais espaço, somando 16% de companhias consideradas “advanced adopters” e serviços financeiros aparece em terceiro lugar (15%). Em contraponto, a indústria de bens de consumo aparece como a menos engajada (7%), seguida da área de saúde (10%).

Estratégia

Ainda que DevOps seja um componente-chave para agilidade nos negócios e para se manter em dia com as demandas dos clientes, o levantamento reforça que muitas empresas ainda não conseguem lidar com tais ferramentas de maneira estratégica.

Isso porque apenas pouco mais da metade (55%) dos pesquisados globalmente afirmaram que têm objetivos bem definidos para a adoção de tais ferramentas. Além disso, enquanto 86% consideraram a capacitação de stakeholders e o alinhamento da TI às prioridades do negócio como importantes, somente 33% e 37%, respectivamente, chegaram a completar esses passos.

Ainda que ambas as equipes, de desenvolvimento e operações, tenham individualmente implementado métodos modernos e técnicas de automação, a maioria (63%) dos adeptos ao DevOps diz que ainda há trabalho a ser feito em termos de infraestrutura e ferramentas.

Além disso, com 46% de respondentes ainda trabalhando em segurança e compliance, está claro que a maioria da atividade DevOps não está bem sustentada por uma plataforma facilitadora e por uma perspectiva de gerenciamento de risco.

O benefício de apostar nestas soluções compensa, afirma a CA. De acordo com a provedora, comparados àqueles sem o modelo, os adeptos avançados da metodologia tem 2 vezes mais chances de aumentar a conquista de novos clientes; 2 vezes mais chances de terem visto um impacto positivo em aumento de receita e 2,4 vezes mais chances de ter experimentado crescimento nos lucros.